Saúde Renúncias à ADSE caem para menos de metade

Renúncias à ADSE caem para menos de metade

Ao longo do ano passado, o número de renúncias ao sistema por parte de beneficiários caiu para menos de metade. O director-geral da ADSE terá mostrado abertura para reavaliar a tabela que entra em vigor em Junho.
Renúncias à ADSE caem para menos de metade

O número de beneficiários que renunciaram à ADSE caiu para menos de metade ao longo do ano passado e este ano a tendência mantém-se, de acordo com os dados divulgados pela Fesap no final de uma reunião com o director-geral da ADSE.

 

José Abraão, dirigente da Fesap, explica que Carlos Liberato Baptista mostrou abertura para reavaliar, em conjunto com a tutela, a polémica tabela de preços que entra em vigor a 1 de Junho. Os sindicatos estão preocupados com o preço das próteses, por exemplo.

"Enquanto os trabalhadores pagarem 3,5% não aceitamos que haja um trabalhador que seja que passe a pagar mais", afirmou o dirigente sindical, sublinhando que um custo de 200 euros pode ser significativo para um pensionista de baixos rendimentos.

 

De acordo com os dados apresentados ao Negócios, o número de renúncias de beneficiários passou de 2.965 para 1.265 no ano passado, o que representa uma quebra para menos de metade. Este ano a tendência mantém-se. Se de Janeiro a Abril do ano passado houve 694 renúncias, no mesmo período deste ano o número baixou para 268, numa nova redução de 60%.

 

A adesão à ADSE é opcional e estes dados sugerem que as renúncias continuam a ser residuais face aos mais de 800 mil titulares no activo ou aposentados, que juntamente com os familiares elevam o número de beneficiários a 1,2 milhões.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI