Impostos Berlim elimina “imposto da reunificação” para todos exceto os mais ricos

Berlim elimina “imposto da reunificação” para todos exceto os mais ricos

O imposto foi implementado no início da década de 1990 para suportar os custos da reunificação do país.
Berlim elimina “imposto da reunificação” para todos exceto os mais ricos
EPA
Rita Faria 21 de agosto de 2019 às 13:08

O governo alemão decidiu esta quarta-feira, 21 de agosto, abolir um imposto que é cobrado à maioria dos contribuintes germânicos desde 1991, e cuja receita tem sido usada para ajudar a financiar a reunificação do país, adianta a Bloomberg. A abolição será para todos, com exceção dos mais ricos.

Segundo um comunicado do ministério alemão das Finanças, citado pela agência de notícias, a partir de 2021 a chamada "sobretaxa de solidariedade" será eliminada para cerca de 90% das pessoas que a suportam atualmente, sendo que outros 6,5% terão um alívio parcial. Em resultado, a receita esperada cairá em 10 mil milhões de euros em 2021.

"Hoje é um dia importante no processo de conclusão da reunificação da Alemanha", afirmou o ministro das Finanças Olaf Scholz.

A eliminação do imposto para a maioria dos contribuintes, que ainda precisa de aprovação do parlamento, é uma vitória para o ministro das Finanças que se manteve firme contra as pretensões de vários membros do partido de Merkel, que exigiam a abolição total desta sobretaxa.

Scholz explicou que ainda há trabalhos ligados à reunificação que precisam de ser financiados, e que é justo que sejam os mais ricos a continuar a pagar.

À Bloomberg, o economista-chefe do Berenberg disse que a eliminação do imposto dará um pequeno impulso à economia, mas que isso já está descontado nas estimativas de crescimento.




Marketing Automation certified by E-GOI