Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mariana Mortágua: “É preciso reintroduzir escalões de IRS”

Em entrevista à Antena 1, a deputada do Bloco de Esquerda assume que 200 milhões de euros é pouco para medidas no âmbito do IRS. A expansão do número de escalões do imposto será um cavalo de batalha nas negociações do Orçamento do Estado de 2018.

A carregar o vídeo ...
Nuno Aguiar naguiar@negocios.pt 04 de Maio de 2017 às 10:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 10
  • ...

Mariana Mortágua sublinhou a necessidade de alterações estruturais no IRS para o próximo ano. "Tem de haver uma alteração no IRS. Os escalões são importantes", afirmou à Antena 1. "O grosso das pessoas que pagam impostos estão no primeiro e segundo escalões e, quando se reduziram os escalões, essas pessoas passaram a pagar muito mais impostos. É preciso reduzir o IRS a essas faixas."

 

O Governo tem previsto no Programa de Estabilidade um envelope financeiro de 200 milhões de euros para actuar no IRS, um valor que não contenta o BE. "200 milhões, para uma alteração estrutural de IRS, é pouco", notou Mortágua que, no entanto, não quis avançar um montante que considere suficiente. "Imagine que consigo um número maior..." Já aconteceu algumas vezes? "Não acontece muito."

 

O que ficou claro é que a batalha do Bloco será voltar a ter mais escalões de IRS. O "enorme aumento de impostos" do Governo anterior reduziu-os de oito para cinco. Regressar aos antigos oito não deverá ser possível, mas acrescentar alguns será importante. "O que seria razoável era reintroduzir escalões. Não estou a dizer passar para todos de uma vez, que eram 8 - entretanto foram feitas outras alterações ao IRS -, mas é preciso reintroduzir escalões em quem paga impostos", defendeu a bloquista.

 

"Não quero sequer ponderar" que a subida do SMN seja faseada

Na entrevista à Antena 1, Mariana Mortágua foi também questionada sobre o modelo de aumento do salário mínimo. Há alguns dias, Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, abria a porta a um maior faseamento dos aumentos. O BE quer garantir que ele ocorre a 1 de Janeiro de todos os anos.

 

"É essa a nossa leitura do acordo. O aumento do salário mínimo tem de ser feito no início do ano e tem de chegar a 600 euros em 2019. Essa é a forma como interpretamos o acordo e achamos que é a forma correcta de fazer este aumento", argumenta. "Não quero sequer ponderar que não seja assim."


Mortágua: "Não quero sequer ponderar" que a subida do SMN seja faseada
A carregar o vídeo ...
Na entrevista à Antena 1, Mariana Mortágua foi questionada sobre o modelo de aumento do salário mínimo. Há alguns dias, Pedro Nuno Santos, secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, abria a porta a um maior faseamento dos aumentos. O BE quer garantir que ele ocorre a 1 de Janeiro de todos os anos.


 

Sobre a solidez da solução governativa actual, que envolve o apoio do BE ao PS, Mortágua considera que "ainda há muito no acordo para ser cumprido", mas avisa que "não há apoios cegos". "Há ainda, e haverá provavelmente sempre, enormes divergências com o PS."


Mortágua: "Ainda há muito no acordo” com o PS “para ser cumprido"
A carregar o vídeo ...
Mariana Mortágua, em entrevista à Antena 1, considera que "ainda há muito no acordo (que assinou com o PS) para ser cumprido", mas não pensa que o facto de se avançar mais no tempo, "não há apoios cegos".
Ver comentários
Saber mais IRS impostos Finanças Governo Fisco Mariana Mortágua Bloco de Esquerda Governo escalões salário mínimo
Mais lidas
Outras Notícias