Impostos Portugal destaca isenção fiscal e segurança para atrair investimento de reformados franceses

Portugal destaca isenção fiscal e segurança para atrair investimento de reformados franceses

Portugal é o país convidado de honra do Salão dos Seniores em Paris, que decorre de quinta-feira a domingo, e vai apresentar a isenção fiscal e a segurança como principais argumentos para atrair investimento de reformados em imobiliário.
Portugal destaca isenção fiscal e segurança para atrair investimento de reformados franceses
Bloomberg
Lusa 06 de abril de 2016 às 11:32

O comunicado da 18.ª edição do evento, que vai ter lugar na Porte de Versalhes, explica que Portugal "é um dos principais destinos de muitos reformados franceses" devido à "proximidade geográfica, clima agradável, isenção das pensões francesas", argumentos que permitem "viver bem e investir num imobiliário dez vezes mais barato do que em França".

 

A segurança é outro dos factores que está a levar a "uma progressão exponencial do número de franceses que vão para Portugal", de acordo com Carlos Vinhas Pereira, presidente da Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa (CCIFP), que está a organizar a presença portuguesa no salão.

 

"Quando se vê o que se está a passar em França, é verdade que as pessoas procuram cada vez mais segurança. Neste momento, o que nos dizem os franceses que estão em Portugal é que se sentem em segurança e não sentem a pressão que sentiam quando estavam em França", afirmou, em referência aos atentados de Paris.

 

Questionado sobre o facto de o auto-intitulado grupo Estado Islâmico também ter ameaçado Portugal, Carlos Vinhas Pereira sublinhou que no país " não houve atentados e ainda não se sente esta ameaça" e que "a probabilidade de em Portugal e em França haver actos de terrorismo é totalmente diferente".

 

O Salão dos Seniores vai contar com duas conferências sobre "a reforma feliz em Portugal", nas quais se vai falar sobre o estatuto do residente não habitual, em vigor desde Janeiro de 2013, que permite uma isenção fiscal durante dez anos a qualquer reformado (do sector privado) da União Europeia, desde que prove que reside em Portugal 183 dias por ano e que não teve residência fiscal no país nos últimos cinco anos.

 

"A reforma média em França é de 1.450 euros. Estamos a falar de mais de 20 milhões de reformados em França. Em Portugal, pode parecer muito dinheiro mas aqui em França, com o custo da vida, não é grande coisa. Em Portugal, com este montante, vão poder ter uma vida melhor e mais feliz, ter poder de compra, poder comprar uma casa maior e beneficiar de mais segurança", continuou Carlos Vinhas Pereira.

 

O presidente da CCIFP - que também organiza anualmente o Salão do Imobiliário e Turismo Português - estimou que o número de franceses a beneficiar do estatuto de residente não habitual já ultrapasse os 25.000, mas sublinhou que não é um número que faça "um grande desfalque no Orçamento do Estado francês".

 

"Há dois milhões de portugueses em França a pagar impostos e há muito menos emigrantes franceses a viver em Portugal. Portanto, o balanço entre os dois países é completamente favorável a França. Não é nada de comparável", disse.

 

Um comunicado da Câmara de Comércio e Indústria Franco-Portuguesa indica que "Portugal é o destino favorito dos seniores em França", apontando um estudo da OpinionWay de 2015 segundo o qual "18% dos franceses com idades entre os 50 e os 70 anos" escolhem Portugal para passar a reforma, uma "tendência confirmada pelo palmarés dos 'paraísos da reforma 2016', do 'site' retraite-etranger.fr, que consagra Portugal como o melhor destino para passar a reforma no estrangeiro".

 

Depois do Salão dos Seniores, Portugal vai voltar a estar em destaque na 5.ª edição do Salão do Imobiliário e Turismo Português, que vai decorrer de 20 a 22 de maio, em Paris, estando também previstas conferências sobre o mesmo tema nas cidades de Lyon, Nantes e Lille.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI