Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Já entregou o IRS? O prazo termina hoje e amanhã já há multa

Até ao dia de ontem foram submetidas 4,8 milhões de declarações referentes à campanha de 2016 do IRS, cujo prazo de entrega termina esta quarta-feira, 31 de Maio, para todas as categorias de rendimentos. Multas podem ir até aos 3.750 euros.

Cátia Barbosa/Negócios
Filomena Lança filomenalanca@negocios.pt 31 de Maio de 2017 às 10:04
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

Segundo o Portal das Finanças, até às 00:55 do dia 30 de Maio, tinham sido entregues 4.897.493 declarações de IRS. Os números são citados pela agência Lusa, que os compara com o total de declarações submetidas no ano passado, de 5.397.730. Para os contribuintes que ainda não cumpriram a obrigação de declarar ao fisco os rendimentos obtidos em 2016, resta o dia de hoje, já que o prazo termina precisamente a 31 de Maio.

 

A partir de 2017 passou a haver um único prazo de entrega, igual para todas as categorias de rendimentos e que decorreu de 1 de Abril até 31 de Maio. Deixar passar o prazo significa pagar uma coima, que o sistema informático do Fisco aplica de forma automática, sem apelo nem agravo.

 

A coima, prevista no Regime Geral das Infracções Tributárias, varia entre 150 e 3.750 euros. O valor mais elevado está reservado a situações de maior gravidade, sendo os 150 euros a coima geralmente aplicável.

 

Este ano a campanha do IRS veio com várias novidades, nomeadamente a possibilidade de entrega de uma declaração automática, toda preenchida pelo Fisco, mas que apenas está disponível para contribuintes com rendimentos do trabalho dependente ou pensões sem filhos a cargo, benefícios fiscais ou rendimentos do estrangeiro. Nas declarações automáticas basta ao contribuinte validar os valores previamente inseridos e submeter a declaração.

 

Nos restantes casos, também uma boa parte dos valores se apresentam já preenchidos, nomeadamente os das deduções à colecta, que o Fisco insere a partir dos dados do e-factura.

 

O Governo anunciou desde o início que os prazos de reembolso seriam mais curtos e, no caso das declarações automáticas, poderiam ser de apenas duas semanas.

A 4 de Maio, o Ministério das Finanças fez um balanço intercalar da campanha de IRS deste ano e revelou que até dia 2 de Maio já tinham sido reembolsados quase 500 milhões de euros a perto de 600 mil contribuintes portugueses. Um número 15 vezes superior ao valor observado em igual período de 2016, altura em que apenas 38,5 mil portugueses tinham recebido o seu reembolso.

 

Ainda assim, o Governo admitia que os três milhões de declarações entregues até então estavam aquém de anos anteriores, devido às alterações de prazos, ou seja, a existência de um período único de entrega.

 

Posteriormente, já a 15 de Maio, Mário Centeno disse no Parlamento que já tinham sido reembolsados 1.200 milhões de euros no âmbito da campanha de IRS deste ano, um valor que disse corresponder a "mais do dobro do que no ano passado".

Ver comentários
Saber mais Portal das Finanças Mário Centeno Governo IRS Fisco Regime Geral das Infracções Tributárias Ministério das Finanças Impostos
Outras Notícias