Ex-trader do UBS condenado por fraude em 2012 será agora deportado para o Gana

Kweku Adoboli foi condenado, em 2012, por fraude. O ex-trader do UBS cumpriu quatro anos de prisão, numa sentença de sete. Foi libertado em 2015 e será agora deportado para o Gana, país de origem.
Reuters
pub
Negócios 04 de setembro de 2018 às 12:01

Kweku Adoboli foi operador no UBS e, em 2012, foi condenado por uma fraude de 1,4 mil milhões de libras. Adoboli foi acusado de provocar perdas avultadas ao banco suíço UBS, depois de ter realizado operações não autorizadas. E foi condenado a sete anos de prisão, tendo cumprido quatro anos de pena.

O responsável foi libertado em 2015 e esta segunda-feira, 3 de Setembro, voltou a ser detido. Mas desta vez com o propósito de ser deportado para o Gana, a sua terra natal. Isto porque, de acordo com a legislação britânica, um estrangeiro que seja condenado a uma sentença superior a quatros anos de prisão entra automaticamente para um processo de deportação.

Adoboli é ganês, mas vive no Reino Unido desde os 12 anos. O responsável já acusou as autoridades de racismo, numa entrevista à BBC.

"O facto de eu ter nascido num país diferente e ter uma cor de pele diferente acabou por marcar o processo", afirmou Kweku Adoboli na entrevista. "Já não foi o Kweku Adoboli que foi para Yorkshire aos 12 anos idade, um menino que se destacou na sua escola, que entrou na Universidade Nottingham, que contribuiu para a associação de estudantes, que se tornou embaixador da marca UBS na universidade, etc., etc., etc. Foi o operador desonesto nascido no Gana", acusa.

pub

pub