Justiça Armando Vara entrega-se na prisão de Évora

Armando Vara entrega-se na prisão de Évora

Armando Vara apresentou-se esta quarta-feira na prisão de Évora para cumprir cinco anos de prisão por três crimes de tráfico de influência. "É um momento difícil", afirma o antigo ministro.
Armando Vara entrega-se na prisão de Évora
Sábado 16 de janeiro de 2019 às 16:49
É o fim da linha para Armando Vara. Dez anos após ter sido constituído arguido e depois de quatro anos de recursos desde a primeira condenação, o ex-ministro dos governos de António Guterres e José Sócrates apresentou-se esta quarta-feira no Estabelecimento Prisional de Évora para cumprir uma pena de cinco anos de prisão, após a sentença no âmbito do processo Face Oculta ter transitado em julgado no dia 11 de dezembro de 2018. 
"É um momento díficil", afirma o antigo ministro à chegada a Évora, por volta das 16h30, onde era aguardado por jornalistas. "Venho cumprir uma pena que considero extremamente injusta porque eu sou inocente e não há nenhuma prova que possa dizer o contrário com segurança", acrescentou. "Sinto uma certa indignação mal contida", acrescentou.  

O antigo administrador da Caixa Geral de Depósitos e ex-vice do BCP vai cumprir pena pelos três os crimes de tráfico de influência pelos quais foi condenado pelo Tribunal de Aveiro no dia 5 de setembro de 2014. Em 2009, então vice-presidente do BCP, Vara recebeu cerca de 25 mil euros para exercer influência junto de Mário Lino, ministro das Obras Públicas do governo de José Sócrates, a favor do sucateiro Manuel Godinho, líder do grupo O2 e o protagonista do caso Face Oculta, pela "rede tentacular" de favores que criou, como descreve o Tribunal de Aveiro. 

Veja aqui o percurso de Vara, do governo aos crimes



pub

Marketing Automation certified by E-GOI