Justiça Caso Sócrates: Três arguidos ficam em prisão preventiva

Caso Sócrates: Três arguidos ficam em prisão preventiva

Três dos arguidos no caso Sócrates ficaram em prisão preventiva. Só Gonçalo Trindade Ferreira, o advogado, é libertado mas com restrições.
Caso Sócrates: Três arguidos ficam em prisão preventiva
Alexandra Machado 24 de novembro de 2014 às 22:48

José Sócrates fica em prisão preventiva, a medida de coacção aplicada também a João Perna, o seu motorista, e a Carlos Santos Silva, o empresário da Covilhã e amigo do ex-primeiro ministro.

 

José Sócrates e Carlos Santos Silva estão indiciados pela prática de fraude fiscal qualificada, corrupção e branqueamento de capitais. Já o motorista João Perna é indiciado pelos crimes de fraude fiscal qualificada, branqueamento de capitais e detenção de arma proibida.

 

Já Gonçalo Trindade Ferreira, que é o único dos arguidos que fica em liberdade, é indiciado por fraude fiscal qualificada e branqueamento de capitais. Gonçalo Trindade Ferreira tem a obrigação de se apresentar no DCIAP (Departamento Central de Investigação e Acção penal) duas vezes por semana, tem de entregar o passaporte e não pode ausentar-se para o estrangeiro e não pode, também, contactar com os outros arguidos. 

 

As medidas de coacção foram comunicadas esta segunda-feira, 24 de Novembro. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI