Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CM: Gestor do grupo Lena assume ter facilitado transferência entre Bataglia e amigo de Sócrates

Joaquim Barroca, vice-presidente do Grupo Lena, assumiu perante a justiça ter funcionado como “barriga de aluguer” para permitir transferência de 12 milhões de Hélder Bataglia para Carlos Santos Silva, cujo último beneficiário seria José Sócrates, noticia o Correio da Manhã.

16º José Sócrates, 310 notícias - Figura central da Operação Marquês, o ex-primeiro-ministro foi notícia ao longo de todo ano, devido ao processo judicial cujo desfecho deverá ser conhecido em Março
Negócios 01 de Julho de 2015 às 10:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 52
  • ...

O vice-presidente do Grupo Lena, Joaquim Barroca, confessou ao juiz de instrução da Operação Marquês que funcionou como "barriga de aluguer" da transferência de 12 milhões de euros que Hélder Bataglia fez para a conta de Carlos Santos Silva, antigo gestor do grupo e amigo de José Sócrates que, segundo a acusação, seria o verdadeiro beneficiário do dinheiro, avança o Correio da Manhã.

 

De acordo com diário, a colaboração de Barroca com a justiça foi determinante para que o juiz Carlos Alexandre tenha decidido aplicar-lhe a prisão domiciliária como medida de coacção. Recorde-se que o vice-presidente do Grupo Lena está indiciado por corrupção activa, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada.

 

O jornal adianta ainda que o empresário assumiu ter sido beneficiado por contratos públicos decididos nos governos de José Sócrates que, segundo o Ministério Público, ascenderam a 200 milhões de euros.

 

De acordo com a acusação, os 12 milhões de euros transferidos para Carlos Santos Silva por Hélder Bataglia, accionista do empreendimento Vale de Lobo e da Escom, empresa em que era parceiro do Grupo Espírito Santo, estarão relacionados com pagamento de favores relacionados com o resort algarvio.

 

Segundo o Correio da Manhã, o Ministério Público pretende chamar António Barroca, presidente do Grupo Lena, para testemunhar por causa de outros dois milhões de euros transferidos para Santos Silva, cuja fortuna, alega a acusação, era, na verdade, de José Sócrates. O jornal admite que também este empresário venha a ser constituído arguido.

Ver comentários
Saber mais Grupo Lena Joaquim Barroca José Sócrates Carlos Alexandre Hélder Bataglia Operação Marquês Carlos Santos Silva
Mais lidas
Outras Notícias