Mundo Panamá volta à "lista negra" dos paraísos fiscais em França

Panamá volta à "lista negra" dos paraísos fiscais em França

O ministro das Finanças francês anunciou esta terça-feira que o país voltará a integrar a lista negra fiscal das autoridades de Paris e a ser considerado um "paraíso fiscal", com consequências para quem ali tenha negócios.
Panamá volta à "lista negra" dos paraísos fiscais em França
Paulo Zacarias Gomes 05 de abril de 2016 às 15:00

O governo francês voltou a colocar o Panamá na lista negra dos países considerados como paraísos fiscais, por ter falhado no cumprimento dos princípios fiscais internacionais.

A reintegração do Panamá nesta lista foi comunicada esta terça-feira, 5 de Abril, pelo ministro francês das Finanças, Michel Sapin, no Parlamento, e surge dois dias depois de conhecidos os "Panama Papers", milhões de documentos com informação sobre sociedades offshore criadas por figuras públicas mundiais ou pessoas próximas para gerir o seu património no país, através da empresa Mossack Fonseca.


"O Panamá quis que acreditássemos que podia respeitar as principais regras fiscais internacionais e por isso tinha sido retirada da lista negra de paraísos fiscais. Isso não será mais possível. E a França decidiu voltar a adicionar o Panamá à lista dos países não colaborativos, com todas as consequências que isso tem para quem tem transacções com o Panamá".

Na sessão de perguntas e respostas perante os deputados, Sapin ressaltou o trabalho "de qualidade, importante" feito pelos jornalistas que trouxeram a público os Documentos do Panamá e garantiu que todos os que tiverem cometido ilegalidades neste âmbito "serão perseguidos com base legal, porque a fraude fiscal é insuportável na situação difícil em que muitos franceses se encontram".

(notícia actualizada às 15:13 com mais informação)




Notícias Relacionadas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI