Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Brasil: Palocci é o segundo ex-ministro de Lula e Dilma preso numa semana

Antonio Palocci é o segundo ex-ministro dos governos Lula e Dilma a ser preso no âmbito da operação Lava Jato. A Polícia Federal fê-lo com base em "indícios de relação criminosa" entre o ex-ministro e a Odebrecht.

Reuters
Negócios 26 de Setembro de 2016 às 12:40
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

Antonio Palocci (à direita da foto, com Guido Mantega), ex-ministro dos governos de Lula da Silva e de Dilma Rousseff, foi detido esta manhã, 26 de Setembro, em São Paulo, no âmbito da 35ª fase da Operação Lava Jato.


As suspeitas sobre Palocci na Lava Jato surgiram após a delação do ex-director da Petrobras Paulo Roberto Costa, que está preso, segundo o qual o ex-ministro lhe pediu que transferisse dois milhões de reais da empresa para a campanha presidencial da ex-presidente Dilma Rousseff.


Após as investigações, a Polícia Federal concluiu que há indícios de uma relação criminosa entre o ex-ministro e a Odebrecht, que fazia contratos sobrefacturados com a Petrobras para permitir encobrir o dinheiro repassado para o Partido dos Trabalhadores.


"Há indícios de que o ex-ministro actuou de forma directa a propiciar vantagens económicas ao grupo empresarial nas mais diversas áreas de contratação com o poder público, tendo sido ele próprio e personagens de seu grupo político beneficiados com vultosos valores ilícitos", refere o comunicado da PF, citado pela imprensa brasileira.


Palocci foi ministro da Casa Civil no governo Dilma Rousseff e ministro da Fazenda (Finanças) no governo Lula. É o segundo ex-ministro dos governos do PT a ser preso no âmbito da operação Lava Jato.

Na semana passasa, Guido Mantega foi detido na 34ª fase da Lava-Jato. O ex-ministro da Fazenda de Lula e Dilma foi solto no mesmo dia, algumas horas depois, após uma decisão de ofício do juiz Sérgio Moro que atendeu ao facto de a sua mulher estar doente.

Ver comentários
Saber mais Antonio Palocci Lula da Silva Dilma Rousseff Operação Lava Jato Petrobras corrupção PT Partido dos Trabalhadores ministro da Casa Civil Guido Mantega
Mais lidas
Outras Notícias