Américas Ministério Público denuncia Lula por negócios suspeitos em Angola

Ministério Público denuncia Lula por negócios suspeitos em Angola

Lula da Silva é suspeito de ter recebido subornos da Odebrecht para facilitar o acesso a financiamentos subsidiados do banco estatal BNDES. Esta é a terceira denúncia do Ministério Público contra o ex-presidente.
Ministério Público denuncia Lula por negócios suspeitos em Angola
Bloomberg
Negócios 10 de outubro de 2016 às 20:02

O ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva foi denunciado nesta segunda-feira, 10 de Setembro, pelo Ministério Público Federal pelos crimes de tráfico de influência, organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção passiva no âmbito da Operação Janus, que investiga negócios suspeitos em Angola com dinheiro do banco estatal de desenvolvimento, o BNDES. 


Também Marcelo Odebrecht, dono da maior empreiteira do país e que já está preso na Operação Lava-Jato, foi denunciado por organização criminosa, lavagem de dinheiro e corrupção activa, a par do sobrinho de Lula, Taiguara Rodrigues dos Santos, que tinha contratos com a Odebrecht em Angola.


Escreve a imprensa brasileira que, segundo a Polícia e o Ministério Público Federal, Lula actuava como "verdadeiro lobista da construtora Odebrecht" a coberto das palestras que dava em vários países – incluindo em Portugal, onde esteve pela última vez em 2013 para apresentar um livro de José Sócrates. Essas palestras seriam pagas pela Odebrecht e, segundo a acusação, o ex-presidente recebeu directamente 7,6 milhões de reais (cerca de dois milhões de euros). A construtora, por sua vez, contratou a Exergia Brasil, empresa do seu sobrinho, Taiguara Rodrigues, para ajudar numa obra em Angola.


Segundo a revista Veja, mesmo sem experiência no ramo de engenharia o sobrinho de Lula recebeu 7 milhões de reais da Odebrecht. Uma parte desses recursos foi usada para pagar uma viagem a Cuba de Fábio Luis, filho mais velho do ex-presidente conhecido como Lulinha, e despesas pessoais de José Ferreira da Silva, conhecido como "Frei Chico", irmão de Lula.

Esta investigação começou em Abril do ano passado, centrada nos empréstimos concedidos pelo BNDES para a Odebrecht entre 2008 e 2015. Segundo o Ministério Público, na comparação entre dez países que receberam financiamentos públicos do banco estatal, Angola teve um dos menores prazos médios de concessão dos empréstimos, celebrou a maior quantidade de contratos e recebeu o maior volume de dinheiro, com a menor taxa de juros.

Três vezes denunciado

Esta é a terceira vez que Lula é denunciado pelo Ministério Público Federal. Em Julho, o ex-presidente foi denunciado por ter comandando um esquema para obstruir a Operação Lava Jato, ao tentar comprar o silêncio de Nestor Cerveró", ex-director da Petrobras envolvido no escândalo do "Petrolão". A primeira audiência dessa acção está marcada para 8 de Novembro. 

Mais recentemente, em 14 de Setembro, o ex-presidente foi denunciado pelos investigadores da Lava-Jato pela prática dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Lula foi então apontado pelo Ministério Público como o "comandante máximo" do esquema do "Petrolão", tendo recebido 3,7 milhões de reais em "luvas" da construtora OAS.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI