Américas Trump ameaça sanções para travar gasoduto entre Rússia e Alemanha

Trump ameaça sanções para travar gasoduto entre Rússia e Alemanha

Donald Trump quer travar o projeto Nord Stream 2 e ameaça avançar com sanções, embora não especifique contra quem. Moscovo acusa-o de "chantagem" e concorrência "injusta".
Trump ameaça sanções para travar gasoduto entre Rússia e Alemanha
Negócios 13 de junho de 2019 às 08:38
Donald Trump continua a disparar ameaças a vários dos principais parceiros mundiais dos Estados Unidos. Desta vez, os alvos foram a Alemanha e a Rússia. Em causa está o projeto do gasoduto Nord Stream 2, que irá ligar os dois países europeus e que também tem merecido resistência por parte da Comissão Europeia. O projeto irá aumentar o fluxo de gás da Rússia para a Alemanha, uma meta que Trump pretende travar.

Não é a primeira vez que o presidente norte-americano faz críticas a este projeto, mas fica por esclarecer quem seriam as empresas ou governos alvo de sanções por parte dos Estados Unidos. Na mais recente investida, limitou-se a dizer que está a "proteger" a Alemanha.

"Estamos a proteger a Alemanha da Rússia. A Rússia está a receber milhões e milhões de dólares da Alemanha pelo seu gás", afirmou o presidente dos Estados Unidos, na Casa Branca, após uma reunião com o presidente polaco, Andrzej Duda. Para Trump, "a Alemanha está a cometer um erro tremendo ao confiar tanto no gasoduto", já que "é uma tremenda quantidade da sua energia que será fornecida" por esse projeto.

Mesmo sem detalhes, as afirmações de Trump já mereceram resposta por parte de Moscovo. Estas declarações, afirmou o porta-voz do Kremlin, "não são nada se não chantagem e uma forma injusta de concorrência".

O presidente russo Vladimir Putin foi mais longe e, em declarações ao canal de televisão Mir TV, afirmou que as relações entre os Estados Unidos e a Rússia estão a "deteriorar-se e a ficar cada vez piores".

O Nord Stream 2 é um empreendimento conjunto entre a energética russa Gazprom e outras cinco empresas europeias. O objetivo é fornecer 55 mil milhões de metros cúbicos de gás natural russo, anualmente, à Alemanha e a outros países europeus, através de um gasoduto duplo colocado no fundo do Mar Báltico.

A própria Comissão Europeia tece críticas a este projeto e tem procurado mesmo chegar a acordo com a Alemanha para estabelecer regras que lhe permitam ter uma palavra a dizer sobre a gestão do gasoduto, uma opção que tem sido rejeitada por Angela Merkel. Já da parte dos Estados Unidos, os receios são de que a Rússia utilize o fornecimento de gás natural como forma de pressão sobre os restantes países europeus dependentes da sua energia.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI