Américas Trump recorre ao Twitter para chamar "bufo" a antigo director do FBI

Trump recorre ao Twitter para chamar "bufo" a antigo director do FBI

O presidente norte-americano chamou "bufo" a James Comey, depois de este ter confirmado que esteve por detrás das fugas de informação sobre as suas conversas a sós com Trump.
Trump recorre ao Twitter para chamar "bufo" a antigo director do FBI
Reuters
Negócios com Lusa 09 de junho de 2017 às 13:05

Mais uma vez, Donald Trump recorreu ao Twitter para comentar um evento e lançar farpas sobre o protagonista. Desta feita, o antigo director do FBI, James Comey, que, perante o Comité de Serviços de Informação (Intelligence) do Senado norte-americano, acusou o presidente norte-americano de ter mentido e de ter tentado travar uma investigação.

 

Na primeira reacção aos comentários de Comey, Trump chamou ao ex-responsável do FBI "bufo", numa mensagem publicada na rede social esta manhã.

 

"Apesar de tantas declarações falsas e mentiras, total e completa reivindicação…e WOW, Comey é um bufo!", escreveu no Twitter o líder da Casa Branca.

O comentário do presidente é uma resposta à confirmação, por parte de James Comey, de que esteve por detrás das fugas de informação sobre as suas conversas a sós com o presidente. Na audição de ontem, o antigo director do FBI explicou que pediu a um amigo que as passasse à imprensa norte-americana, na convicção de que essa medida poderia motivar a nomeação de um conselho especial sobre o caso.

 

James Comey, que foi despedido por Trump há um mês, disse que tomou a decisão de divulgar o teor das conversas depois de o Presidente ter feito uma referência a eventuais gravações num tweet que divulgou três dias depois nas redes sociais. Para isso, recorreu a um amigo que é professor na Faculdade de Direito da Universidade de Columbia.

 

O antigo responsável também declarou que Donald Trump não lhe ordenou, especificamente, que parasse a investigação sobre a alegada ingerência russa nas presidenciais, mas que o instruiu nesse sentido.

 

"Director Comey, o Presidente pediu-lhe, em algum momento, que parasse a investigação do FBI sobre a ingerência russa nas eleições americanas de 2016?", perguntou o presidente do Comité de Serviços de Informação [Intelligence], Richard Burr.

 

"Não", respondeu Comey, dando a mesma resposta à questão sobre se "algum indivíduo da administração" Trump o tinha feito.

 

Segundo Comey, não houve uma ordem explícita nesse sentido, mas o ex-director interpretou uma conversa com o Presidente Trump como "uma instrução" para abandonar as investigações.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI