Mundo A celebração do Ano Novo chinês movimenta muitos milhões

A celebração do Ano Novo chinês movimenta muitos milhões

O Festival da Primavera é marcado por uma migração massiva de chineses, que voltam das grandes cidades para a terra natal com o objectivo de celebrar junto da família a entrada no novo ano. Face ao abrandamento da economia, há quem pondere aproveitar a viagem para mudar de vida.
Reuters
Inês F. Alves 06 de fevereiro de 2016 às 11:00

Começou na China a enorme migração anual que tem lugar no Festival da Primavera, que se inicia no primeiro dia do ano novo chinês, que se celebra na próxima segunda-feira, 8 de Fevereiro. Escreve a CNBC que esta pode ser uma viagem sem retorno para muitos daqueles que não encontram oportunidades de trabalho nas grandes cidades.

De acordo com o Ministério dos Transportes da China, estima-se que tenham lugar cerca de 2,9 mil milhões de viagens entre 24 de Janeiro e 3 de Março, época da migração anual que inclui o período em que decorre o Festival da Primavera, que se inicia no primeiro dia do ano novo chinês e termina com a Festa das Lanternas.

Este número não tem em consideração as viagens de autocarro e de taxi, diz a CNBC, acrescentando que deverá assistir-se a um aumento de 3,6% no número total de viagens em relação ao ano passado. Só de avião deverão ocorrer 47,5 milhões de deslocações.

O processo está a ser dificultado pelo mau tempo, com milhares de pessoas retidas em estações de comboios.

O motor de pesquisa Baidu está a acompanhar as migrações através de um site dinâmico, que poderá ver aqui, mas que não se encontra em inglês. 



Apesar de o início do novo ano ser tradicionalmente uma época de optimismo sobre o futuro, escreve a CNBC que para muitos trabalhadores a viagem para a sua terra Natal será só de ida, uma vez que o abrandamento da economia põe termo aos sonhos de muitos de ganhar a vida numa grande cidade.

Du Lijuan e Song Yaoguo, ambos empregados no sector da restauração em Pequim, não se vão juntar à vaga de migrantes porque continuam à espera dos salários que têm em atraso, na ordem dos mil dólares cada um. "Não temos dinheiro para comprar os bilhetes, para comprar presentes para a nossa família. Normalmente, gastamos cerca de 650 dólares em cada Novo Ano Lunar [Equivalente à passagem do ano]. Não volto para Pequim", disse Du Lijuan à CNBC.

Há vários anos que os trabalhadores que migram do interior para as cidades são o pilar do crescimento económico do país, trabalhando em fábricas e no sector da construção, mas muitos começam a ponderar a possibilidade ficar na sua terra natal depois do Festival da Primavera, face aos receios de não conseguirem encontrar emprego nos grandes centros urbanos.

A actividade industrial na China caiu para para mínimos de três anos em Janeiro de 2016, estando a recuar há seis meses consecutivos.

"Não é fácil encontrar um emprego na indústria da restauração hoje em dia", contou Song Yaoguo à CNBC. "Quando vim para Pequim a primeira vez, há 10 anos, estava excitado, com esperança renovada, pensava que podia dar-me bem numa grande cidade. Mas agora, estou tão triste e desapontado", acrescentou.

Novo Ano Lunar nos mercados

A celebração do Novo Ano Lunar, que dá as boas-vindas ao Ano do Macaco, tende a influenciar também os mercados, pelo que a CNBC deixa algumas dicas sobre ao que se deve estar atento durante a pausa de cinco dias que começa na próxima segunda-feira, em que os mercados chineses estão fechados.


Segundo a CNBC, a volatilidade deve diminuir, as cotadas norte-americanas tendem a registar maior actividade e o índice tecnológico Nasdaq – que se encontra agora em território de correcções – tende a ter um desempenho muito positivo.

Por outro lado, o aumento da procura de ouro e jóias para oferecer no Novo Ano Lunar – sinal de saúde e fortuna – tende a fazer o preço destas matérias-primas aumentar. Destaque porém para a prata, cujo desempenho durante este período tem sido sempre positivo nos últimos 10 anos, excepto em 2013, escreve a CNBC.

A CNBC salienta ainda que vale a pena estar atento às empresas norte-americanas que operam em território chinês, uma vez que durante o feriado de cinco dias – o mais importante do ano para os chineses – as pessoas tendem a consumir mais, seja em jantares ou prendas para os entes queridos.

A importância do novo ano chinês é tal que o Twitter, rede social banida no continente chinês, investiu na criação de emojis especiais para o Ano Novo Lunar, numa tentativa de atrair os utilizadores na época festiva, conta a CNBC.

Assim sendo, o tradicional envelope vermelho usado para dar presentes, aparecerá em tweets que contenham as hashtag #KungHeiFatChoy, #HappyCNY and #GongXiFaCai.

Kung Hei Fat Choy e Gong Xi Fa Cai significam "desejo-te um próspero ano novo" em cantonês e em mandarim, respectivamente.

Além do envelope, o Twitter também oferece aos utilizadores um jogo ao estilo bolinho da sorte, que desenvolveu em parceria com China News. 




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI