Mundo Alemanha compra rede eléctrica para evitar entrada de chineses da REN

Alemanha compra rede eléctrica para evitar entrada de chineses da REN

A Alemanha alegou razões de "segurança nacional" para investir em parte da maior rede nacional de energia, afastando os investidores chineses que mostravam interesse nesta mesma compra - e que são actualmente os maiores accionistas da portuguesa REN.
Alemanha compra rede eléctrica para evitar entrada de chineses da REN
Bloomberg
Ana Batalha Oliveira 27 de julho de 2018 às 10:14
O banco de investimento estatal alemão, o KfW, vai adquirir uma parcela do principal operador de rede eléctrica no país, alegando razões de "segurança nacional": não quer que a fatia em questão vá parar às mãos da chinesa State Grid Corporation of China, que se posicionava nesta corrida.

A instituição bancária estatal está disposta a desembolsar 770 milhões de euros para ficar com 20% da maior rede eléctrica germânica, a 50Hertz. O actual dono desta parcela é a belga Elia System Operator. Esta última empresa será responsável pelos restantes 80% do capital. 

"No âmbito da segurança nacional, o governo federal tem o maior interesse em proteger infraestruturas de energia críticas", justificou o ministro da economia alemão, citado pela Bloomberg. 

A participação da KfW só se pretende, contudo, temporária. A 50Hertz fornece energia a 18 milhões de residentes na Alemanha.

Este não é o primeiro movimento da empresa chinesa, que tem almejado operadores de rede por todo o mundo nos anos recentes. A State Grid of China é inclusivamente o maior accionista da portuguesa REN - Redes Energéticas Nacionais, detendo uma participação de 25% sobre o capital da mesma.  

(Notícia actualizada às 12:39 com mais informação sobre a empresa State Grid)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI