Mundo Casa Branca diz que é hoje: Trump anuncia tarifas contra a China

Casa Branca diz que é hoje: Trump anuncia tarifas contra a China

A agenda oficial da Casa Branca, publicada na quarta-feira à noite, diz que Trump vai assinar um "Memorando Presidencial dirigido à agressão económica da China".
Casa Branca diz que é hoje: Trump anuncia tarifas contra a China
Lusa
Margarida Peixoto 22 de março de 2018 às 10:54
Donald Trump prepara-se para anunciar esta quinta-feira uma nova bateria de tarifas à importação de produtos chineses, confirmou a AFP. Raj Shah, porta-voz da Casa Branca, adiantou à agência de notícias que o presidente dos Estados Unidos vai anunciar as medidas na sequência de "uma investigação aos esforços feitos pela China, dirigidos pelo Estado, causadores de distorção no mercado, para forçar, pressionar e roubar tecnologia dos Estados Unidos e propriedade intelectual".

A agência adianta que a agenda da Casa Branca, publicada na quarta-feira à noite, já previa a assinatura, por parte de Trump, de um "Memorando Presidencial dirigido à agressão económica da China".

O anúncio já era esperado para o final desta semana, mas não se sabia o dia em que Trump avançaria. Em causa estará uma comprida lista de produtos: a Bloomberg fala esta quinta-feira em mais de 100 bens, que representam importações na ordem dos 50 mil milhões de dólares. Mas já chegou a ser assumido um montante superior, de 60 mil milhões de dólares.

Tanto a AFP como a Reuters contam que num primeiro momento Trump terá recebido uma proposta de lista com um montante na ordem dos 30 mil milhões, mas a Reuters diz que o presidente dos Estados Unidos achou pouco, preparando-se para ir mais além.

Já a AFP diz apenas que Trump se terá comprometido pelo menos com o valor de 30 mil milhões de dólares.

Decisões "emocionais"

A China tem pedido a Trump que não tome decisões "emocionais" e o presidente chinês, Xi Jinping, enviou este mês o seu conselheiro económico Liu He a Washington para discutir as questões do comércio com a administração Trump. Mas segundo um responsável do gabinete de Robert Lighthizer, que tem a pasta do Comércio, o diálogo está longe de chegar a bom-porto.

"À data de hoje, a administração [Trump] não está satisfeita com o tipo de respostas que temos tida da China", disse o responsável do gabinete de Lighthizer, num encontro com jornalistas, que decorreu sob condição de anonimato, na quarta-feira.

O anúncio de Trump chegará na véspera da entrada em vigor das tarifas sobre o aço e o alumínio, que se aplicarão, à falta de acordo, aos países da União Europeia. A comissária europeia para o Comércio, Cecilia Malmstrom está em Washington para negociar condições de excepção para o mercado único comunitário, mas por enquanto ainda não há fumo branco.

Os líderes europeus reúnem-se esta quinta-feira, na chamada Cimeira da Primavera, e têm como primeiro ponto na agenda a discussão das tensões comerciais.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI