Mundo Daesh reivindica ataque de Nice

Daesh reivindica ataque de Nice

A confirmação chegou através da agência de informação Amaq. A organização refere-se a Mohamed Lahouaiej Bouhlel, o alegado autor material do ataque como um "soldado do Estado Islâmico".
Daesh reivindica ataque de Nice
Reuters
Paulo Zacarias Gomes 16 de julho de 2016 às 09:55
O Daesh, a organização que se auto-intitula Estado Islâmico, reclamou este sábado, 16 de Julho, a autoria do ataque de Nice, que matou pelo menos 84 pessoas esta quinta-feira naquela cidade francesa.

A confirmação foi feita através da sua agência de informação, a Amaq, numa comunicação em que a organização descreve Mohamed Lahouaiej Bouhlel, o alegado autor, como um "soldado do Estado Islâmico" que respondeu ao apelo para "matar os infiéis".

"O autor da operação (...) levada a cabo em Nice em França é um soldado do Estado Islâmico. Ele executou a operação em resposta aos apelos lançados para atingir cidadãos dos países da coligação que combate o Estado Islâmico", afirma a mensagem citada pelo jornal Le Point.

De acordo com a Reuters, os serviços de informações franceses estão a tentar verificar se a reivindicação é fidedigna.

Já o ministro do Interior, Bernard Cazeneuve, afirmou entretanto não ter para já provas, nem através do registo criminal de Bouhlel, nem de fontes dos seus serviços de informações, que permitam validar a ligação entre o Daesh e o ataque. E referiu que qualquer radicalização do suspeito terá acontecido de forma muito rápida.

Cinco detidos na investigação ao ataque de Nice


As autoridades francesas detiveram, entre esta sexta-feira e sábado, quatro pessoas relacionadas com o alegado autor material do ataque.

De acordo com o jornal Le Figaro, que cita fonte judicial, quatro homens relacionados com Bouhlel juntaram-se à lista de detidos nas últimas horas, depois de também a ex-mulher do alegado autor ter sido interpelada pelas autoridades.

Numa operação de detenção, que ocorreu pelas 6:00 (5:00 em Lisboa) deste sábado em Nice, foram levados pelas autoridades três homens. Um outro tinha sido detido já esta sexta-feira, enquanto a ex-mulher de Bouhlel foi detida também este sábado. 

As detenções são conhecidas no dia em que a França inicia um período de cinco dias de luto nacional.

(Notícia actualizada às 13:16)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI