Mundo Democratas tentam contornar paralisação do Governo dos EUA

Democratas tentam contornar paralisação do Governo dos EUA

Com maioria na Câmara dos Representantes, os democratas pretendem aprovar decretos para financiar algumas agências federais de forma a garantir o funcionamento regular do país. Trump insiste na importância do muro como única forma de assegurar segurança na fronteira sul com o México.
Democratas tentam contornar paralisação do Governo dos EUA
Reuters
David Santiago 02 de janeiro de 2019 às 14:07

Com poder reforçado e margem de ação política ampliada, o Partido Democrata entra no novo ano com vontade de travar, ou pelo menos, dificultar a agenda do presidente norte-americano Donald Trump.

De acordo com a imprensa dos Estados Unidos, os democratas planeiam votar um conjunto de decretos destinados a financiar agências governamentais federais enquanto forma de contornar a paralisação do Governo federal.

Esta intenção surge numa fase em que o presidente dos EUA convidou os líderes democratas no Congresso para uma conversa - a primeira desde o início do bloqueio ao funcionamento do Governo federal iniciado há quase duas semanas -, a decorrer ainda esta quarta-feira, na Casa Branca. Não se sabe ainda se os democratas vão aceitar retomar o diálogo com o presidente.

Trump quer dialogar com os democratas para tentar superar o "shutdown" provocado pela objeção do Partido Democrata em financiar com dinheiros públicos a construção do muro que na altura em que era candidato presidencial prometeu na campanha eleitoral com garantias de que o mesmo seria pago pelo México.

Donald Trump quer 5 mil milhões de dólares para financiar a construção do polémico muro ao longo da fronteira com o México e chegou a garantir que a paralisação parcial do Governo não o iria demover dessa intenção.

Perante a recusa dos democratas, que nas intercalares de Novembro reconquistaram a maioria na Câmara dos Representantes (câmara baixa do Congresso), Trump insiste que sem o muro os Estados Unidos nunca terão fronteiras seguras a sul.

Esta quinta-feira, 3 de Janeiro, toma posse o novo Congresso americano, esperando-se que a líder dos democratas na câmara baixa, Nancy Pelosi, concretize propostas para financiar e assegurar o funcionamento de entidades públicas como museus e parques nacionais cujos funcionários ficaram sem salário.

O Partido Democrata propõe-se apresentar legislação que garanta a reabertura de todas as agências federais, excetuando a segurança interna, já que este departamento inclui também a segurança fronteiriça e os democratas pretendem apenas assegurar o respetivo financiamento até 8 de Fevereiro de forma a impedirem qualquer canalização de meios para a construção do muro.

De acordo com fontes citadas pelo Politico, para a conversa pretendida para esta quarta-feira com os democratas, Donald Trump incluiu um briefing dado por altos responsáveis pela segurança nacional acerca da situação na fronteira sul do país.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI