Economia Dilma perde ministro da Casa Civil

Dilma perde ministro da Casa Civil

Meio ano depois de ter tomado posse, Dilma Rousseff perdeu a primeira peça – e uma peça fundamental – do seu Governo: António Palocci, apresentou a demissão.
Lusa 08 de junho de 2011 às 00:05
Na carta enviada à Presidente, Palocci reafirma sua inocência, mas admite que a sua continuidade no cargo poderia prejudicar o governo. [O ministro] "considera que a continuidade do combate político poderia prejudicar as suas atribuições no governo. Perante isso, preferiu solicitar o seu afastamento".

O texto destaca, no entanto, que as actividades profissionais extra-governo exercidas pelo ministro – que prestou serviço de consultoria a empresas privadas ao mesmo tempo que era deputado federal – estavam em conformidade com a lei.

Na segunda-feira à noite, a Procuradoria-geral da República decidira arquivar o processo de investigação ao aumento significativo (20 vezes em quatro anos) do património de António Palocci, três semanas depois de uma notícia divulgar este aumento.

"O ministro considera que a robusta manifestação do Procurador-geral da República, confirma a legalidade e a correcção das suas actividades profissionais no período recente, bem como a inexistência de qualquer fundamento, ainda que mínimo, nas alegações apresentadas sobre a sua conduta", acrescenta-se no texto.

A senadora Gleisi Hoffmann, do Partido dos Trabalhadores, do Paraná, ocupará o gabinete da Casa Civil deixado por Palocci.







Marketing Automation certified by E-GOI