Mundo Fabiano Silveira abandona Transparência e é segunda baixa do Governo de Temer

Fabiano Silveira abandona Transparência e é segunda baixa do Governo de Temer

O até aqui ministro interino da Transparência pediu esta segunda-feira a demissão do cargo assumido em 12 de Maio. Fabiano Silveira é já o segundo ministro do Executivo escolhido por Michel Temer a abandonar o cargo.
Fabiano Silveira abandona Transparência e é segunda baixa do Governo de Temer
Reuters
David Santiago 31 de maio de 2016 às 13:02

Ao cabo de pouco mais de duas semanas enquanto ministro interino da Transparência, Fiscalização e Controle do Governo, Fabiano Silveira demitiu-se da função esta segunda-feira. A demissão de Silveira do Governo presidido por Michel Temer aconteceu na sequência da publicação de gravações de conversas em que o agora ex-ministro se disponibilizava a utilizar os seus contactos de forma a defender aliados sob investigação no âmbito do processo Lava Jato.

 

De acordo com as gravações feitas por Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro (companhia detida pela Petrobras) sob investigação no Lava Jato, em conversa com Renan Calheiros, presidente do Senado brasileiro e membro do PMDB, Fabiano Silveira criticava o papel da Procuradoria-Geral da República na liderança do Lava Jato.

 

Segundo o Globo, na conversa gravada por Sérgio Machado em 24 de Fevereiro, Silveira dava ainda instruções a Renan Calheiros e ao ex-presidente da Transpetro sobre a forma como deveriam actuar de forma a evitar uma acusação decorrente da investigação do Lava Jato que pende sobre os mesmos. Machado é delator do Lava Jato.

 

Na carta de demissão ontem enviada a Temer, Fabiano Silveira garante não ter feito qualquer tipo de obstrução ao trabalho do Ministério Público brasileiro, explicando ter-se tratado de "comentários genéricos e simples opinião".

"Reitero que jamais intercedi junto a órgãos públicos em favor de terceiros. Observo ser um despropósito sugerir que o Ministério Público possa sofrer algum tipo de influência externa, tantas foram as demonstrações de independência no cumprimento de seus deveres ao longo de todos esses anos", acrescentou ainda Silveira sobre a conversa mantida quando era ainda conselheiros do Conselho Nacional de Justiça.

 

Silveira é assim já a segunda baixa no Governo interino que tomou posse no início do presente mês de Maio. Isto depois de Romero Jucá se ter demitido da pasta do planeamento na semana passada na sequência de escutas também relacionadas com o Lava Jato. Jucá Machado, novamente em conversa com o delator Sérgio Machado, explicava que o derrube do Governo de Dilma Roussef permitira formalizar um pacto com o objectivo de manietar a operação anticorrupção Lava Jato.

 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI