Mundo Irão vai aumentar enriquecimento de urânio acima dos limites do acordo

Irão vai aumentar enriquecimento de urânio acima dos limites do acordo

As ameaças de parte a parte continuam. Este domingo Teerão garante que vai aumentar os níveis de enriquecimento de urânio e garantiu que a cada 60 dias vai deixar cair um compromisso.
Irão vai aumentar enriquecimento de urânio acima dos limites do acordo
Reuters
Negócios 07 de julho de 2019 às 11:37
O Irão garantiu este domingo, 7 de julho, que está preparado para enriquecer urânio a qualquer nível, em qualquer momento, naquele que é o mais recente ato de desafio aos Estados Unidos que garantem avançar com sanções contra Teerão.

Em conferência de imprensa, citada pelas agências internacionais, foi anunciado por Teerão que vai continuar a reduzir os seus compromissos, a cada 60 dias, a menos que os signatários do acordo de 2015 - China, Rússia, Reino Unido, França e Alemanha - protejam o país das sanções norte-americanas. 

"Continuamos em contacto com os europeus apesar de não terem cumprido as nossas exigências", declarou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Abbas Araghchi. Este domingo, acrescentou, será enviada uma carta à União Europeia para informar a redução dos compromissos. 

"Dentro de poucas horas o processo técnico chegará ao fim e o enriquecimento do urânio acima de 3,67% começará", garantiu Behrouz Kamalvandi, o porta-voz da organização de energia atómica iraniana, acrescentando que "amanhã cedo, quando a IAEA (organização das nações Unidas) fizer a inspeção já estaremos acima dos 3,67%", diz citado pela Reuters.

No âmbito do acordo, o Irão pode enriquecer urânio até 3,67% de materiais cindíveis, bem abaixo dos 20% que chegou a alcançar antes do acordo material, well below the 20%, e cerca de 90% do necessário para construir uma arma nuclear. No entanto, como escreve o El País, tal não pressupõe uma capacidade de fabrico de uma bomba de forma imediato, sendo, por isso, visto como forma de pressão.

"Como anunciámos, o Irão vai aumentar o seu nível de enriquecimento de urânio a partir de hoje", reforçou este domingo o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano, Abbas Araghchi, para quem este passo não viola o Plano Integrado de Ação Conjunta, firmado em 2015 com as grandes potências, porque, acrescentou, os Estados Unidos abandonaram o acordo no ano passado de forma unilateral. 

Os Estados Unidos têm ameaçado Teerão com sanções, por forma a negociar um novo acordo.

A pedido dos Estados Unidos, p Organismo Internacional de Energia Atómica vai reunir-se na próxima quarta-feira numa reunião extraordinária para analisar as medidas iranianas. 





pub

Marketing Automation certified by E-GOI