Mundo Irão e França assinam investimentos de 15.000 milhões

Irão e França assinam investimentos de 15.000 milhões

Da aviação ao automóvel, passando pelo transporte marítimo e sem deixar de fora o petróleo: o presidente iraniano Hassan Rouhani a termina viagem à Europa com acordos que "marcam uma nova Primavera" nas relações com a Europa.
Irão e França assinam investimentos de 15.000 milhões
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 28 de janeiro de 2016 às 17:45

As entidades francesas e iranianas assinaram acordos no valor de 15 mil milhões de euros durante a visita do presidente iraniano Hassan Rouhani a Paris, disse uma fonte diplomática não identificada à Reuters.

Em causa estão, entre outros, a encomenda de 118 aviões à Airbus (incluindo 12 aparelhos A380, o "superjumbo" da marca europeia) e o entendimento para a modernização de uma fábrica conjunta da Peugeot-Citroën (PSA) e da iraniana Khodro.

No sector da aviação, além das encomendas de aparelhos (que incluem 21 aeronaves A320, 24 A320neo, 27 unidades A330, 18 aparelhos A330 neo e 16 do modelo mais recente, o A350, além dos A380), a dona da portuguesa ANA, a Vinci, acordou participar na gestão e renovação de dois aeroportos (Mashhad and Ispahan). Já a empresa que gere os aeroportos da capital (Aéroports de Paris) e a construtora Bouygues vão participar na construção de um novo terminal no principal aeroporto de Teerão, avança a Bloomberg.

Na área automóvel, a Peugeot-Citroën vai modernizar, através de um investimento de 400 milhões de euros, e ao longo de cinco anos, a fábrica próxima de Teerão detida em parceria com a Iran Khodro. O objectivo é colocar no mercado 100 mil carros por ano a partir do final do próximo ano.

Estão ainda previstos investimentos conjuntos nos domínios do transporte marítimo, tratamento de águas e saúde, além do sector petrolífero onde a francesa Total passará a comprar parte do petróleo que Teerão tem agora autorização para exportar.

Os acordos foram rubricados por Rouhani e François Hollande, o seu homólogo francês, nesta quinta-feira no palácio do Eliseu (sede da Presidência), em Paris, um dos últimos pontos na visita de quatro dias à Europa.

Nesta que é a sua primeira deslocação ao estrangeiro depois de levantadas as sanções económicas ao país, o líder iraniano passou por Itália, onde as empresas iranianas fecharam contratos com as congéneres italianas num valor semelhante – 17 mil milhões de euros com empresas do sector industrial e da construção.

Rouhani chegou a considerar que estes quatro dias no velho continente marcam uma "nova Primavera" nas relações de Teerão com a União Europeia.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI