Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Mais ricos de França enriquecem mais depressa do que quaisquer outros

Titãs do luxo, como Bernard Arnault e Francois Pinault, e o herdeiro do setor de cosméticos Francoise Bettencourt Meyers aumentaram as suas fortunas num total de 53 mil milhões de dólares.

2º Bernard Arnault lidera a LVMH há 29 anos
reuters, bloomberg
Bloomberg 02 de Julho de 2019 às 15:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

O descontentamento dos cidadãos continuou a dominar as ruas de França no primeiro semestre, com multidões de manifestantes a exigir aumentos dos salários e pensões devido á crescente desigualdade de rendimentos. Mas, para os mais ricos do país, os primeiros seis meses foram de muita sorte.

 

Juntas, as 14 pessoas de França no grupo dos 500 membros do Índice de Bilionários Bloomberg aumentaram em 35% o seu património coletivo, para 78 mil milhões de dólares desde 31 de dezembro. É mais do dobro do ritmo dos mais ricos da China, com uma subida de 17%, e dos abastados americanos, que elevaram o seu património em 15%. Os melhores retornos fora de França vieram principalmente da Ásia, com os mais ricos da Tailândia em segundo lugar, com 33%, seguidos de Singapura, com 31%, e do Japão, com 24%.

 

Os números excluem países com menos de dois bilionários no ranking. Com isto, Aliko Dangote, o único nigeriano na lista, ficou de fora. O seu património aumentou 60%, para 16,8 mil milhões de dólares este ano.

 

Titãs do luxo, como Bernard Arnault (na foto) e Francois Pinault, e o herdeiro do setor de cosméticos Francoise Bettencourt Meyers lideraram a acumulação de fortuna em França, somando 53 mil milhões de dólares. A procura por bens de luxo na China manteve-se sólida apesar da incerteza causada pela disputa comercial do país com os EUA.

 

As ações da LVMH, de Arnault, dispararam 45% este ano, o segundo melhor desempenho do índice francês CAC40. Com os ganhos, Arnault entrou no mês passado para o clube de Jeff Bezos e Bill Gates como as únicas pessoas com fortunas pessoais de pelo menos 100 mil milhões de dólares.

 

O bom desempenho da Tailândia pode ser amplamente atribuído a Charoen Sirivadhanabhakdi, fundador e presidente do conselho do TCC Group, conglomerado de bebidas e imóveis, e a Sarath Ratanavadi, principal acionista e presidente da Gulf Energy Development.

 

O património líquido de Sirivadhanabhakdi aumentou cerca de quatro mil milhões de dólares, para 16,5 mil milhões, acompanhando o desempenho da sua empresa, a Thai Beverage, cujas ações valorizaram-se 38% em Singapura. Agora, o magnata planeia expandir o seu império além da cerveja e do uísque na segunda maior economia do Sudeste Asiático.

 

Ratanavadi acumulou 2,3 mil milhões de dólares, já que a sua aposta no Vietname começa a dar frutos. As ações da Gulf Energy, cotadas em Banguecoque, avançaram 51% no primeiro semestre.

 

(Texto original: France’s Richest People Get Richer Faster Than Everyone Else)

Ver comentários
Saber mais fortuna riqueza Bernard Arnault Charoen Sirivadhanabhakdi Sarath Ratanavadi
Mais lidas
Outras Notícias