Mundo Pelo menos 63 mortos em atentado na cidade paquistanesa de Lahore

Pelo menos 63 mortos em atentado na cidade paquistanesa de Lahore

Pelo menos 63 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas numa explosão ocorrida este domingo em Lahore, a segunda maior cidade do Paquistão. A explosão foi um atentado suicida, segundo fontes oficiais citadas pela agência noticiosa espanhola Efe.
Pelo menos 63 mortos em atentado na cidade paquistanesa de Lahore
Reuters
Negócios com Lusa 27 de março de 2016 às 18:17

A explosão hoje ocorrida num parque na cidade paquistanesa de Lahore (leste) foi um atentado suicida, indicaram fontes oficiais à Efe. "O balanço é de 56 mortos. As operações de socorro prosseguem no terreno", declarou num primeiro momento, à agência francesa AFP, Muhammad Usman, um alto responsável administrativo da cidade, acrescentando que foram mobilizados militares para o local.

 
Uma hora mais tarde, as autoridades de Lahore elevaram para 63 o número de mortos provocados pelo atentado. Fontes citadas pela Efe referiam, às 18:27 de Lisboa, pelo menos 63 mortos e 290 feridos.

A explosão foi registada numa zona de estacionamento junto a um parque, perto do centro da cidade. "Um suicida fez explodir as bombas que transportava no parque Gulshan-e-Iqbal, perto de uma zona infantil, por volta das 19:00 locais (15:00 de Lisboa)", disse um porta-voz da polícia local, Mohamed Salim.

Um porta-voz dos serviços de socorro de Lahore, Jam Sajjad, explicou, também em declarações à Efe, que o parque Gulshan-e-Iqbal tem uma área muito grande, com uma zona de actividades para crianças, e que na altura da explosão estava cheio de famílias que ali passavam o fim da tarde.

 

O governo da província de Punjab, da qual Lahore é a capital, informou na sua conta na rede social Twitter que declarou o estado de emergência em todos os hospitais da cidade e que decretou três dias de luto oficial.

 
Talibás do Jamaat ul Ahrar reivindicam ataque

O grupo talibã Jamaat ul Ahrar reivindicou entretanto o atentado referindo que o objectivo eram os cristãos que celebravam a Páscoa.

 

"Assumimos a responsabilidade do ataque contra os cristãos que celebravam a Páscoa", afirmou o porta-voz do grupo islamita Ehansullah Ehsan, ao diário paquistanês The Expresse Tribune, citado pela Efe.

 

A organização terrorista indicou que este atentado faz parte de uma série de operações baptizadas "Saut-ul-Raad" (a voz do trono), que continuarão ao longo de 2016.

 

"Estávamos à espera desta ocasião. Queremos dizer ao governante PML-N [a Liga Muçulmana] e ao primeiro-ministro que desembarcámos em Punjab e que conseguimos", afirmou o porta-voz numa conversa telefónica com o The Express Tribune.



(notícia actualizada às 21:20)




pub

Marketing Automation certified by E-GOI