Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pelo menos oito mortos em atentado na República Democrática do Congo

Uma bomba explodiu num bar da República Democrática do Congo matando oito pessoas e ferindo várias outras. Grupos da sociedade civil atribuem a autoria do ataque a rebeldes ugandeses.

6º Kinshasa, República Democrática do Congo
Lusa 26 de Dezembro de 2021 às 11:00
Pelo menos oito pessoas morreram e várias ficaram feridas após a explosão de uma bomba na noite de sábado num bar na localidade de Beni, no nordeste da República Democrática do Congo (RDC), confirmaram hoje responsáveis da sociedade civil.

"Foi um ‘kamikaze’ a quem foi negada a entrada no bar, cheio de clientes devido às festas do Natal. Rapidamente ativou a sua bomba junto à entrada", indicou à agência Efe, por telefone, Kizito Bin Hango, coordenador da sociedade civil na zona.

O balanço de mortos do ataque, que ocorreu no bairro de Nyamuisi, na comuna de Beya (nos limítrofes do município de Beni), é ainda provisório.

Inicialmente foram reportados seis mortos, mas hoje de manhã a recontagem deu conta de oito vítimas mortais.

O Governo congolês condenou na noite de sábado, em comunicado, este ato terrorista e enviou as suas condolências às famílias das vítimas, assegurando que as forças de segurança estão a investigar o ataque e a garantir a segurança na zona.

Os grupos da sociedade civil atribuem a autoria do ataque aos rebeldes das ugandesas Forças Democráticas Aliadas (ADF), um grupo insurgente que frequentemente comete massacres na zona.

De acordo com os últimos dados do Barómetro para a Segurança da província de Kivu, as ADF, associadas por diversos especialistas ao Estado Islâmico, mataram pelo menos 2.074 pessoas em 368 ataques desde 2017 no nordeste da RDC.

Desde 1998 que a região este da RDC enfrenta um conflito alimentado por milícias rebeldes e os ataques dos soldados do exército, apesar da presença da missão de paz da ONU, que tem no local mais de 14.000 efetivos.
Ver comentários
Saber mais RDC República Democrática do Congo distúrbios guerras e conflitos
Outras Notícias
Publicidade
C•Studio