Mundo Presidente Xi: "Nenhuma força pode parar o povo chinês e a nação chinesa"

Presidente Xi: "Nenhuma força pode parar o povo chinês e a nação chinesa"

O discurso que marca os 70 anos do Partido Comunista Chinês no poder deixa uma mensagem de supremacia e progresso da nação, embora seja sublinhado o caráter pacífico com o qual o presidente pretende trilhar este caminho.
EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters EPA / Reuters
Negócios 01 de outubro de 2019 às 09:57

O presidente da China, Xi Jinping, defendeu num discurso a propósito dos 70 anos do Partido Comunista Chinês no poder que nenhuma força – sem nomear – poderia travar o progresso da nação, num contexto de guerra comercial com os Estados Unidos.

"Não há nenhuma força que possa abalar as fundações desta grande nação", disse Xi, no discurso de comemoração do 70.º aniversário do seu partido. "Nenhuma força pode parar o povo chinês e a nação chinesa que se está a construir".

Entre estas declarações, o líder da segunda maior economia do mundo (apenas atrás dos Estados Unidos), não referiu qualquer ameaça específica e enfatizou que preferia enveredar por um desenvolvimento pacífico.

A carregar o vídeo ...


O presidente chinês fez ainda menção ao confronto com Hong Kong, dizendo que o governo central irá "manter a prosperidade no longo-prazo e estabilidade em Hong Kong e Macau". Contudo, protestantes de Hong Kong aproveitaram a ocasião para se manifestarem logo após o desfile. Em junho passado, surgiram os primeiros protestos em torno da lei da extradição, que determinava que aqueles detidos em Hong Kong fossem julgados na China. Em Hong, tal como acontece com Macau, foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judiciário. O Governo central chinês é responsável pelas relações externas e defesa.

O discurso prolongou-se por menos de dez minutos e seguiu-se a demonstração militar, na qual foram exibidas as armas, incluindo um novo míssil nuclear que, de acordo com os analistas consultados pela Associated Press, pode atingir os Estados Unidos em 30 minutos.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI