Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Rússia acusa EUA de "pegar fogo" ao norte da Síria

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, disse hoje que a política norte-americana para a Síria pode "pegar fogo" à região, referindo-se à esperada intervenção militar turca.

Reuters
Lusa 09 de Outubro de 2019 às 10:20
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Os curdos do noroeste da Síria, junto da fronteira com a Turquia, ficaram "muito inquietos" depois do anúncio norte-americano sobre a retirada das tropas dos Estados Unidos, disse Lavrov acrescentando que a situação pode "pegar fogo" à região.

"É preciso evitar isto a qualquer custo", acrescentou o chefe da diplomacia da Rússia que se encontra no Cazaquistão.

Entretanto, as autoridades semiautónomas curdas da Síria apelaram "à mobilização geral durante os próximos três dias" contra a ameaça da Turquia e exortaram os habitantes do noroeste da Síria a "resistir".

"Proclamamos ao estado de mobilização geral durante três dias no noroeste da Síria" anunciou a administração local curda através de um comunicado.

"Apelamos a todos os que fazem parte do nosso povo a dirigirem-se para a zona da fronteira (…) para garantirem a resistência, neste momento que é historicamente delicado", frisa o mesmo documento das autoridades curdas.

No domingo, em contacto telefónico entre o chefe de Estado turco, Recep Tayyip Erdogan, e o presidente norte-americano, Donald Trump, os Estados Unidos deram "luz verde" à ofensiva da Turquia no norte da Síria.

O objetivo turco é evitar que as milícias YPG/PYD – que Ancara considera uma extensão da guerrilha curda do PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão) – venham a expandir posições no norte da Síria junto da fronteira com a Turquia.

A operação militar centrada na margem leste do Eufrates é a terceira intervenção militar de Ancara contra as milícias curdas no norte da Síria desde 2016.

Ao mesmo tempo que se prepara o lançamento da ofensiva de larga escala turca, os Estados Unidos iniciaram a retirada dos soldados norte-americanos que se encontram na zona.

Washington exige que a Turquia tome responsabilidade sobre os milhares de membros do grupo radical Estado Islâmicos que se encontram detidos na região.

Ver comentários
Saber mais Lavrov Rússia Estados Unidos Síria Turquia Ancara
Mais lidas
Outras Notícias