Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Trump admite fazer um acordo provisório com a China

Em vésperas de novo encontro entre Estados Unidos e China, que se reúnem para a semana, Trump admite a possibilidade de avançar nas negociações através de um acordo interino.

Reuters
Negócios jng@negocios.pt 13 de Setembro de 2019 às 07:45
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

O presidente norte-americano, Donald Trump, admitiu a hipótese de firmar um acordo interino com a China, de forma a avançar com os pontos em que ambas as partes estão de acordo enquanto se resolvem as grandes divergências.

"Se vamos fazer um acordo, vamos despachá-lo", disse Trump aos jornalistas após um congresso em Baltimore, nos Estados Unidos. "Vejo que muitos analistas defendem um acordo interino – isto é, fazer partes do acordo, as mais fáceis primeiro. Mas não há fácil ou difícil. Há um acordo ou não há um acordo. Mas é algo que consideraríamos, penso eu".

Apesar da abertura a avançar com um acordo mais faseado, o líder da Casa Branca afirmou ainda que gostava de assinar um acordo completo.

As declarações do presidente chegam depois de este assunto já ter sofrido alguns revezes durante esta quinta-feira, 13 de setembro. Depois de estas intenções terem sido divulgadas pelos media, fonte oficial da Casa Branca afirmou que os Estados Unidos não estariam "de todo" a considerar este tipo de acordo. Os mercados, que começaram por reagir em alta à nova brecha nas negociações comerciais, rapidamente moderaram o entusiasmo.

Confrontado com estas oscilações de posições, a assessoria do presidente enfatizou que Trump prefere um acordo completo.

As negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China vão continuar na próxima semana, na qual há reunião marcada. O encontro conta para já com dois novos fatores adjuvantes ao avançar das negociações: a hipótese de um acordo interino e a decisão de Trump de, esta quarta-feira, ter adiado um aumento das tarifas em 250 mil milhões de dólares de produtos chineses até ao próximo 15 de outubro.

Ver comentários
Saber mais Donald Trump Casa Branca China Estados Unidos economia negócios e finanças economia (geral) política
Mais lidas
Outras Notícias