Mundo UE já tem resposta para tarifas dos EUA sobre o setor automóvel

UE já tem resposta para tarifas dos EUA sobre o setor automóvel

A União Europeia já está a finalizar a lista de produtos dos Estados Unidos que serão alvo de tarifas na Europa, caso Donald Trump decida até 18 de maio impor taxas sobre os automóveis.
UE já tem resposta para tarifas dos EUA sobre o setor automóvel
EPA
Rita Faria 13 de maio de 2019 às 14:51

Os Estados Unidos ainda não tomaram uma decisão, mas a União Europeia já preparou uma resposta. Caso a administração Trump decida avançar com a sua ameaça de impor tarifas sobre os automóveis importados da Europa, a Comissão Europeia já tem preparada uma lista de bens norte-americanos que serão alvo de taxas alfandegárias, em resposta.

No total, a União Europeia espera aplicar tarifas sobre 20 mil milhões de euros de bens vindos dos Estados Unidos, sendo que a lista que detalha esses produtos já está a ser finalizada. Washington deverá tomar uma decisão até sábado, 18 de maio.

"Já estamos a preparar uma lista de possíveis itens que integrarão essa lista", afirmou Cecilia Malmstrom, comissária europeia para o Comércio, em entrevista à Bloomberg.

"No momento em que isto se tornar oficial – se acontecer, eu ainda espero que não – então publicaremos a lista", indicou a responsável, acrescentando que iria acontecer "muito rapidamente".

Depois de terem ameaçado impor tarifas punitivas sobre automóveis e peças automóveis importadas da Europa, os Estados Unidos concordaram, em julho do ano passado, suspender essa aplicação enquanto as duas partes negociavam novas relações económicas.  

Contudo, as negociações foram adiadas durante vários meses, sobretudo devido à resistência por parte dos franceses, que procuraram adiar o assunto para lá das eleições europeias de maio.

Por outro lado, a Alemanha, cujas exportações de carros para os EUA representam mais de metade do total de vendas automóveis da UE para os EUA, pressionou os restantes Estados-membros para que as negociações se iniciassem o mais rapidamente possível.

Mas só em abril deste ano os Estados-membros deram o aval final para que se começassem as negociações comerciais do bloco com os Estados Unidos, que ainda mantém tarifas sobre o aço e o alumínio europeus.

A aplicação de tarifas sobre os automóveis marcaria certamente uma escalada das tensões transatlânticas, já que o valor das exportações automóveis da Europa para o mercado norte-americano é mais de dez vezes superior ao valor das exportações de aço e alumínio, juntas.

De acordo com dados da Comissão Europeia, uma tarifa de 25% sobre os automóveis acrescentaria 10 mil euros ao preço médio dos carros europeus vendidos nos Estados Unidos.

O cenário "é um pouco imprevisível neste momento", afirmou Malmstrom, recordando que o acordo alcançado em julho entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, previa que os dois países não aplicariam novas tarifas à outra parte. "Esperamos que o presidente se mantenha fiel à sua palavra", rematou.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI