Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Wall Street fecha quase inalterada com medo de diminuição dos estímulos

A Fed discutiu a possibilidade de se endurecer a política monetária, o que pressionou as cotações da bolsa, num dia de elevada volatilidade. Só o índice Nasdaq fugiu às quedas.

Diogo Cavaleiro diogocavaleiro@negocios.pt 05 de Abril de 2011 às 21:27
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
As bolsas norte-americanas encerraram hoje praticamente sem qualquer alteração em relação aos números de ontem. A divulgação das minutas da reunião da Fed acabou por penalizar as negociações, num dia em que a volatilidade não deixou os mercados bolsistas dos Estados Unidos.

O índice Dow Jones caiu 0,05% para 12.393,9 pontos, enquanto o S&P 500 desceu 0,02% para 1.332,63 pontos. O índice tecnológico acabou por ser o único a registar ganhos, avançando 0,07% para 2.791,19 pontos, isto quando foi divulgado que os pesos das cotadas no índice Nasdaq-100 vai alterar a partir de 2 de Maio, com a Apple a sair prejudicada, passando a ter um peso menor ao actual. A empresa terminou a cotação a descer 0,67% para 338,89 dólares, tendo chegado a perder 1,52%

No dia de hoje, Wall Street tinha começado a cair precisamente penalizada pelas acções da tecnológica e pela subida das taxas de juro na China, de forma a combater a inflação.

Depois, uma oferta de aquisição que já tinha sido anunciada antes no início da sessão conseguiu dinamizar a bolsa. A Texas Instruments ofereceu 6,5 mil milhões de dólares pela National Semiconductor, o que levou as acções da segunda a disparar 71,36%. Ontem valiam 14,07 dólares, hoje fecharam a cotar 24,06. A Texas, que até iniciou a sessão desanimada, subiu 1,7% para 34,69 dólares.

Posteriormente, os accionistas ficaram mais pessimistas, com a publicação das minutas da reunião da Reserva Federal norte-americana de 15 de Março. O facto de haver uma divisão sobre manter ou diminuir os estímulos à economia entre os vários governadores penalizou a negociação.

A contribuir para a queda do Dow Jones esteve também a descida de 1% da Boeing, devido aos receios de que uma inspecção possa encontrar mais problemas nos seus aviões 737.

Ver comentários
Saber mais bolsas norte-americanas Wall Street Nasdaq Dow Jones S&P500
Outras Notícias