Política Monetária Banco de Inglaterra mantém juros, mas dois governadores defenderam um corte

Banco de Inglaterra mantém juros, mas dois governadores defenderam um corte

Os responsáveis pela política monetária do Reino Unido decidiram manter as condições. Mas houve surpresas, com dois governadores a defenderem um corte da taxa de juro.
Banco de Inglaterra mantém juros, mas dois governadores defenderam um corte
Reuters
Sara Antunes 07 de novembro de 2019 às 12:50

O Banco de Inglaterra manteve as condições da política monetária, mas dois dos responsáveis votaram a favor de um corte da taxa de juro.

 

Michael Saunders e Jonathan Haskel defenderam na reunião desta quinta-feira um corte de juros de 25 pontos base, a primeira vez que tal acontece desde 2016, revela a Bloombreg.

 

Os dois responsáveis justificaram esta decisão com as incertezas sobre o futuro e os sinais de uma deterioração no mercado laboral.

 

Ainda assim, a maioria apoiou a decisão do governado do Banco de Inglaterra, Mark Carney, que defendeu a manutenção da taxa de referência nos 0,75%.

 

"Se o crescimento mundial não estabilizar, ou se a incerteza do Brexit se prolongar, a política monetária pode precisar de reforçar a recuperação", salientam os responsáveis na declaração produzida após a reunião, citada pela Bloomberg.

 

Apesar de manter as condições da política monetária, os responsáveis reviram em baixa as previsões de crescimento económico. As novas estimativas apontam para que o produto interno bruto (PIB) cresça 1,2% em 2020, o que será o nível mais baixo desde 2009, e representa uma revisão em baixa face aos 1,3% estimados anteriormente. Para 2021, as estimativas são de um crescimento de 1,8%, o que compara com os 2,3% previstos anteriormente.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI