Política Monetária BCE corta juros para mínimo histórico de 0,5%

BCE corta juros para mínimo histórico de 0,5%

Desde que assumiu funções no BCE, em Outubro de 2011, Mario Draghi já cortou a taxa de juro de referência do euro em um ponto percentual. Economistas duvidam da eficácia do corte concretizado esta quinta-feira.
BCE corta juros para mínimo histórico de 0,5%
Nuno Carregueiro 02 de maio de 2013 às 12:46

O Banco Central Europeu cumpriu as expectativas e reduziu a taxa de juro de referência da Zona Euro em 0,25 pontos percentuais, para 0,5%, colocando o preço do dinheiro no nível mais baixo de sempre.

 

Uma decisão que tem como grande objectivo ajudar a travar a recessão da Zona Euro, que perdura desde finais de 2011 e deverá prolongar-se ao longo deste ano. Foram precisamente os sinais negativos da economia do euro que levaram o BCE a sinalizar nas últimas reuniões que poderia reduzir o preço do dinheiro na região para estimular a actividade económica.

 

O PIB da Zona Euro registou uma contracção de 0,6% nos últimos três meses do ano passado, face aos três meses anteriores, estando em queda desde finais de 2011. Para os economistas do BCE, o PIB da região deverá contrair em torno dos 0,5% em 2013 (um intervalo de -0,9% e -0,1%) e crescer cerca de 1% em 2014.

 

A queda da inflação na Zona Euro para 1,2%, um mínimo de três anos, também suporta a decisão anunciada hoje pelo Conselho de Governadores do BCE. Tal como a subida da taxa de desemprego da região para um máximo de 12,1%.

 

"A deterioração recente dos indicadores de sentimento económico aumentaram claramente as probabilidades de nova intervenção pelo BCE" esta quinta-feira, disse Carsten Brzeski, economista do ING, antes de ser conhecida a decisão. Carsten Brzeski alerta, no entanto, que o efeito positivo de "um corte da taxa sem esforços adicionais para reparar o mecanismo de transmissão da política monetária irá provavelmente evaporar-se rapidamente e até pode ser visto como um acto de desespero".

 

Os próprios responsáveis do BCE têm desvalorizado o impacto deste corte de juros na retoma da economia. Joerg Asmussen, membro da comissão executiva do BCE, afirmou na semana passada que uma descida de juros teria um “efeito limitado”, já que o efeito dos juros mais reduzidos não está a ser transmitido às economias que mais precisam.

 

Os responsáveis europeus têm demonstrado uma maior preocupação com o facto de as empresas dos países periféricos terem difícil acesso a crédito barato, um constrangimento que o BCE já anunciou que pretende enfrentar, mas ainda não tomou qualquer decisão.

 

No que diz respeito aos particulares, a decisão do BCE também tem um impacto limitado, já que os indexantes do crédito à habitação estão a negociar em mínimos históricos e já abaixo da taxa de juro de referência do BCE. A Euribor a seis meses cedeu hoje 0,02 pontos base para 0,313%, um nível nunca antes atingido.

 

Corte de 1 ponto percentual

 

Com este corte nos juros da Zona Euro, Mario Draghi já reduziu o preço do dinheiro da Zona Euro em um ponto percentual, desde que assumiu as funções de presidente da autoridade monetária, em finais de 2011.

 

O corte anterior da taxa de referência do BCE ocorreu em Julho de 2012, quando foi fixada pela primeira vez abaixo de 1%. Os dois cortes anteriores de Draghi foram consecutivos em Novembro e Dezembro de 2011.

 

Aguarda-se agora a conferência de imprensa, que contará com a presença de Draghi, em Bratislava, capita da Eslováquia. Tem início às 13h30 (hora de Lisboa).




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI