Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lane avisa: Não fiquem demasiado contentes com dados fortes na Zona Euro

O economista-chefe do Banco Central Europeu alertou que, apesar de ser um indicador positivo, os recentes dados económicos acima das expectativas nada dizem sobre o futuro.

Philip Lane. O irlandês comanda o Banco de Irlanda e é quase certa a sua ida para Frankfurt. Falta apenas saber qual será o cargo que vai ocupar.
bloomberg
Negócios jng@negocios.pt 24 de Junho de 2020 às 13:17
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
Os recentes dados sobre os serviços, a indústria e a confiança dos consumidores divulgados na Zona Euro foram acima do esperado pelos analistas e deram sinais de uma recuperação ligeira no "velho continente". Contudo, o economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, diz que tais números são naturais e não são um bom guia para o futuro. 

Em junho, os setores dos serviços e indústria superaram as estimativas nas duas maiores economias do bloco. Na área do euro, o PMI para a indústria e serviços subiram de 31,9 pontos, em maio, para 47,5 em junho, um valor acima dos 42,4 pontos estimados pelos analistas, apontando para uma recuperação, se bem que de forma lenta. 

Hoje, os dados da confiança dos consumidores mostraram números acima do previsto na Alemanha, a maior economia da região.  

Lane disse que, embora a "melhoria substancial" dos indicadores de curto prazo seja normal, dada a profundidade da contração nos meses anteriores, estes não são bons guias para o futuro, e a atividade permanecerá muito abaixo dos níveis pré-crise por um período prolongado, dadas as restrições remanescentes.

"As perdas de rendimento e uma economia de precaução continuam a ter um grande peso no consumo. Da mesma forma, uma procura fraca, as restrições contínuas de oferta e as restrições contínuas de distanciamento social estão a dificultar a normalização da atividade económica", adiantou Lane. 

Tendo atingido mínimos em abril, a economia do bloco está a recuperar de forma paulatina, à medida que as restrições para conter a propagação do coronavírus são gradualmente levantadas.

Lane acrescentou que as medidas orçamentais, particularmente as negociações sobre um pacote de recuperação da União Europeia de 750 mil milhões de euros, também deverão ter um grande impacto na rapidez com que a confiança recupera.
Ver comentários
Saber mais Philip Lane Banco Central Europeu Zona Euro BCE economia negócios e finanças macroeconomia conjuntura economia (geral)
Outras Notícias