Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Pires de Lima considera “muito positivo o anúncio do BCE” e defende continuação de “agenda de reformas”

O ministro da Economia vê com bons olhos a adopção de um programa de compra de dívida soberana hoje anunciada pelo BCE. No entanto, Pires de Lima, a partir de Davos, sublinha a importância de os países prosseguirem as respectivas reformas estruturais de forma a que a Europa possa competir com os Estados Unidos e a Ásia.

Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago dsantiago@negocios.pt 22 de Janeiro de 2015 às 18:24
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O ministro da Economia António Pires de Lima recebeu com agrado a notícia de que o Banco Central Europeu (BCE) vai assumir um programa alargado de compra de títulos da dívida soberana dos Estados-membros do euro. Em Davos, na Suíça, no âmbito da sua presença no Fórum Económico Mundial, m entrevista à estação televisiva CNBC, Pires de Lima afirmou ver "como muito positivo o anúncio do BCE".

 

"Acredito que o BCE tem um papel decisivo e este programa de ‘quantitative easing’ poderá desempenhar um papel de grande importância para que nós, na Europa, tenhamos uma inflação normal", explicou o responsável pela pasta da economia nacional.

 

Todavia, Pires de Lima aproveitou a ocasião para notar que apesar de considerar que Mario Draghi, presidente do BCE, "está a fazer aquilo que é necessário para que a Europa saia da deflação", relativamente ao crescimento da Europa, "além de todas estas medidas de ‘quantitative easing’ temos de continuar a ter em conta a agenda de reformas".

 

No entender do político centrista, a continuação da prossecução de uma agenda de reformas estruturais como a que "nós, os portugueses, já implementámos e estamos a implementar", é a única forma de garantir o crescimento do Velho Continente e de "competirmos com os Estados Unidos e com a Ásia".

 

Cerca da hora de almoço, o italiano Mario Draghi anunciou que a autoridade monetária europeia vai mesmo assumir um papel mais activo na tentativa de devolver maiores níveis de crescimento às economias do euro e de estimular a taxa de inflação até perto dos 2%. Draghi revelou que já a partir de Março, o BCE vai investir um montante mensal de 60 mil milhões de euros na compra de títulos até Setembro de 2016.

Ver comentários
Saber mais Pires de Lima Mario Draghi BCE Davos
Mais lidas
Outras Notícias