Política Monetária Yellen: "Condições financeiras nos EUA são menos favoráveis ao crescimento"

Yellen: "Condições financeiras nos EUA são menos favoráveis ao crescimento"

Apesar de observar um aumento dos riscos decorrentes da volatilidade nos mercados financeiros, a presidente da Reserva Federal dos Estados Unidos continua a antever uma subida gradual das taxas de juro.
A carregar o vídeo ...
Rui Barroso 10 de fevereiro de 2016 às 14:11

A presidente da Reserva Federal dos EUA, Janet Yellen, admitiu que os desenvolvimentos financeiros recentes nos mercados financeiros são menos favoráveis para a maior economia do mundo. "As condições financeiras nos Estados Unidos tornaram-se recentemente menos favoráveis ao crescimento", referiu a responsável da Fed num discurso ao Congresso norte-americano, publicado no site da Reserva Federal.

Janet Yellen enumerou "as descidas dos preços das acções, as maiores taxas de juro para os credores de maior risco e uma valorização adicional do dólar" como os factores a tornarem as condições financeiras menos favoráveis. "Estes desenvolvimentos, se provarem ser persistentes, podem pesar na perspectiva para a actividade económica e do mercado de trabalho, apesar das descidas das taxas de juro de longo prazo e dos preços do petróleo" compensarem parcialmente aqueles factores, referiu Yellen.

Apesar desta análise, a presidente da Fed reiterou que mesmo após a subida das taxas de juro em Dezembro, "a orientação da política monetária permanece acomodatícia". E manteve que o Comité de Política Monetária "antecipa que as condições económicas evoluam de forma a garantir apenas subidas graduais da taxa dos fundos federais".

Os riscos externos

Mesmo mantendo a indicação de que as taxas de juro são para subir, Yellen classificou os dados recentes vindos de fora dos Estados Unidos como potenciais riscos. "Apesar dos recentes indicadores económicos não sugerirem um abrandamento forte do crescimento chinês, as descidas no valor da taxa de câmbio do renminbi intensificaram a incerteza sobre a política cambial chinesa e as perspectivas para a sua economia".

Explicou que essa "incerteza levou a um aumento da volatilidade nos mercados financeiros globais e a preocupações exacerbadas sobre as perspectivas para o crescimento global". Janet Yellen mencionou ainda que os baixos preços das matérias-primas "podem espoletar stresses financeiros em economias exportadoras de matérias-primas, particularmente em economias de mercados emergentes vulneráveis, e em empresas produtoras em muitos países".

Yellen considera que se estes riscos se materializarem, "a actividade externa e a procura por exportações dos EUA pode enfraquecer e as condições dos mercados financeiros podem endurecer ainda mais".

Apesar destes riscos, a presidente da Fed também admitiu que o baixo preço do petróleo pode jogar a favor da economia dos EUA. "O crescimento económico pode também exceder as nossas projecções por um variado número de razões, incluindo a possibilidade de que os baixos preços do petróleo acelerem o crescimento económico mais que o esperado".

Em conclusão, Janet Yellen considera que "como é sempre o caso, o cenário económico é incerto". E refere que "o Comité está a monitorizar de perto os desenvolvimentos económicos e financeiros globais, assim como as suas implicações para o mercado de trabalho, a inflação e o equilíbrio dos riscos para o outlook". 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI