Política Assunção Cristas oferece óculos a Costa, que prometeu dar-lhe um espelho retrovisor

Assunção Cristas oferece óculos a Costa, que prometeu dar-lhe um espelho retrovisor

A presidente do CDS aproveitou o debate quinzenal desta tarde para oferecer a António Costa um par de óculos, “para ver melhor a realidade”, um “soro da verdade” e propostas do seu partido. Costa prometeu oferecer-lhe um espelho retrovisor “para ver o passado”.
Assunção Cristas oferece óculos a Costa, que prometeu dar-lhe um espelho retrovisor
Bruno Simão/Negócios
Bruno Simões 22 de dezembro de 2016 às 17:02

A três dias do Natal, Assunção Cristas ofereceu a António Costa três presentes, durante o debate quinzenal desta tarde, na Assembleia da República. No final da sua intervenção, e depois de ter feito várias críticas ao Governo socialista, em especial à degradação dos serviços públicos, Cristas ofereceu um par de óculos a António Costa, "para ver melhor a realidade", que às vezes vê "desfocada", bem como um "soro da verdade" para "olhar de forma objectiva" para as "avaliações feitas ao anterior Governo", uma referência ao relatório da OCDE.

 

Cristas ofereceu ainda um "pack" de medidas apresentadas pelo CDS este ano, que foram "infelizmente quase todas chumbadas".

 

António Costa, igualmente num registo bem disposto, agradeceu as ofertas. "Fico-lhe muito agradecido, sempre achei que daria uma excelente Mãe Natal", atirou. Costa agradeceu não só os como o soro, "porque a busca pela verdade é um trabalho incessante", e admitiu que pode inspirar-se nas "boas ideias que o CDS certamente tem".

 

Costa picou depois o PSD, pelo facto de ter sido Luís Montenegro a fazer a intervenção do PSD, e não Passos Coelho, como se esperava. "Da próxima vez Montenegro pode fazer de Pai Natal", atirou, provocando protestos na bancada laranja.

 

O primeiro-ministro lamentou, depois, "não ter vindo com um presente, porque lhe daria um [espelho] retrovisor", para que Cristas "confrontasse o seu passado com o Orçamento para 2017, e visse como no OE 2017, depois de quatro anos em que paralisaram o investimento na escola, no SNS", este Governo "aumenta o investimento público e direccionámo-lo para onde devia ser direccionado".

 

"Far-lhe-ei chegar até ao Dia de Reis o retrovisor", prometeu Costa.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI