Política BE lança jornal dedicado ao orçamento em que acusa UE de "chantagem"

BE lança jornal dedicado ao orçamento em que acusa UE de "chantagem"

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, lançou um jornal dedicado ao Orçamento do Estado de 2016, no qual se destaca que as decisões nacionais valem mais do que "a chantagem europeia".
BE lança jornal dedicado ao orçamento em que acusa UE de "chantagem"
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 24 de março de 2016 às 11:58

A porta-voz do Bloco de Esquerda, Catarina Martins, lançou esta quinta-feira, 24 de Março, em Lisboa, um jornal dedicado ao Orçamento do Estado de 2016, no qual se destaca que as decisões nacionais valem mais do que "a chantagem europeia".

 

Na primeira página do jornal Bloco é destacado um texto com o título "As nossas decisões valem mais do que a chantagem europeia", no qual o partido aborda o Orçamento do Estado para 2016, que apesar de conter limitações e constrangimentos, consideram ser um passo na direcção certa.

 

"É um jornal que tenta pôr o debate político que está no parlamento, na rua. Neste jornal, focamo-nos sobre as propostas de recuperação de rendimentos, nomeadamente a subida do salário mínimo, a reposição de salários da função pública e descongelamento das pensões", explicou Catarina Martins à agência Lusa.

 

De acordo com a responsável, o jornal Bloco aborda também as medidas sociais de longo alcance como a tarifa social da energia ou as prestações sociais que podem chegar aos idosos com pensões mais baixas, abono de família ou rendimento social de inserção.

 

"Temos prestado contas de tudo o que temos feito. Fizemo-lo quando fizemos acordo com o PS fazendo sessões em todo o pais. Agora, que já fizemos sessões em salas de todo o país está no momento de virmos para a rua para prestar contas às pessoas com um jornal que explica o Orçamento, o que foi possível, o que não é possível, para que se perceba qual é o caminho de recuperação de rendimentos que está a ser feito", sublinhou.

 

No texto publicado na primeira página deste jornal do BE, refere-se que "este Orçamento marca o fim de um longo ciclo de empobrecimento e dá passos importantes na recuperação de salários, pensões e apoios sociais atacados pelas políticas PSD/CDS".

 

"A Comissão Europeia e o governo alemão têm mostrado conviver mal com as escolhas democráticas dos portugueses", pode ler-se ainda no texto.

 

Segundo escreve o BE, combater o desemprego, aumentar o salário mínimo, reverter privatizações e combater a austeridade parece não ser tolerado em Bruxelas e Berlim, mesmo que essa tenha sido a decisão da larga maioria dos cidadãos.

 

"Às nossas escolhas e decisões têm respondido com chantagem. Basta. Portugal não pode continuar a ser o 'bom aluno' das más políticas dos 'professores europeus'. É chegado o momento de explicar à Comissão Europeia e à senhora Merkel que a Constituição de Portugal é para cumprir", é sublinhado no texto da primeira página do jornal.

 

Em declarações à Lusa, a coordenadora do BE, Catarina Martins, disse que este jornal "é um prestar de contas e um diálogo intenso de quotidiano" que o partido quer promover.

 

"O que muda em 2016?", "Conta da energia vai baixar para quem precisa", "As nossas decisões valem mais do que a chantagem europeia" e "Novo Banco: pagamos para vender?",  são alguns dos assuntos abordados no jornal, que destaca também uma entrevista à deputada Mariana Mortágua na qual afirma: "Chantagem de Bruxelas quer impedir recuperação de rendimentos".




pub

Marketing Automation certified by E-GOI