Saúde CDS quer que Governo antecipe férias escolares da Páscoa devido a Covid-19

CDS quer que Governo antecipe férias escolares da Páscoa devido a Covid-19

O grupo parlamentar do CDS-PP pediu ao Governo que "antecipe o período de férias escolares da Páscoa" como medida para prevenir a propagação da epidemia de Covid-19, comunicando "imediatamente às escolas" a alteração do calendário letivo.
CDS quer que Governo antecipe férias escolares da Páscoa devido a Covid-19
João Cortesão
Lusa 11 de março de 2020 às 07:31
De acordo com um projeto de resolução que vai ser entregue esta quarta-feira na Assembleia da República, a que a agência Lusa teve acesso, a bancada parlamentar centrista refere que "o risco de contágio pelo novo coronavírus tem vindo a aumentar continuamente", enaltecendo que em Portugal "estão já confirmados 41 casos".

Por isso, o CDS recomenda ao Governo, liderado pelo socialista António Costa, que antecipe o período de férias escolares da Páscoa, como medida preventiva da propagação" da Covid-19, e que comunique "imediatamente às escolas" a alteração do calendário letivo.

Os centristas consideram que a "ameaça de esta epidemia" evoluir para uma "pandemia é cada vez mais real".

O grupo parlamentar liderado por Telmo Correia sublinha que, devido à "transmissão tremendamente rápida" que a Covid-19 está a ter, é justificada a antecipação "com urgência" do período de férias escolares da Páscoa.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de 4.200 mortos.

Cerca de 117 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, e mais de 63 mil recuperaram.

Nos últimos dias, a Itália tornou-se no caso mais grave de epidemia fora da China, com 631 mortos e mais de 10.100 contaminados pelo novo coronavírus, que pode causar infeções respiratórias como pneumonia.

A quarentena imposta pelo Governo italiano ao Norte do país foi alargada a toda a Itália.

O Governo português decidiu suspender todos os voos com destino ou origem nas zonas mais afetadas em Itália, recomendando também a suspensão de eventos em espaços abertos com mais de 5.000 pessoas.

Portugal registava na terça-feira 41 casos confirmados de infeção, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS).

A DGS comunicou também que em Portugal se atingiu um total de 375 casos suspeitos desde o início da epidemia, 83 dos quais ainda a aguardar resultados laboratoriais.

Segundo a DGS, há ainda 667 contactos em vigilância pelas autoridades de saúde.

Face ao aumento de casos, o Governo ordenou a suspensão temporária de visitas em hospitais, lares e estabelecimentos prisionais na região Norte, até agora a mais afetada.

Foram também encerrados alguns estabelecimentos de ensino, sobretudo no Norte do país, assim como ginásios, bibliotecas, piscinas e cinemas.

Os residentes nos concelhos de Felgueiras e Lousada, no distrito do Porto, foram aconselhados a evitar deslocações desnecessárias.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI