09 de outubro de 2019 às 12:37
Costa revela que Marcelo não exigiu "garantias"
Costa revela que Marcelo não exigiu "garantias"
Depois de ouvir o Livre transmitir indisponibilidade para uma convergência bilateral mas, ainda assim, garantir que não apresentará "nenhuma moção de rejeição ao programa de governo", António Costa disse aos jornalistas que mesmo não sendo possível nenhum tipo de acordo bilateral com o partido fundado por Rui Tavares, existe margem para uma convergência entre as prioridades do Livre e as do PS - "há campo de trabalho", sustentou.

Já sobre a intenção do Livre promover um acordo multipartidário com vista à legislatura, o primeiro-ministro repetiu uma frase já dita na noite passada depois de indigitado pelo Presidente da República, dizendo que é preciso "ver se é possível".