09 de outubro de 2019 às 19:03
PCP dará contributos mas programa e orçamentos são "responsabilidade do PS"
PCP dará contributos mas programa e orçamentos são "responsabilidade do PS"
O secretário-geral comunista fez questão de notar que a "estabilidade de qualquer governo depende sempre da correspondência entre as políticas que executa e as aspirações e anseios dos trabalhadores e do povo", e salvaguardando que o PCP manterá sempre "a sua iniciativa", será "em função das opções do PS, dos instrumentos orçamentais que apresentar e do conteúdo do que legislar que o PCP determinará, como sempre, com inteira independência, o seu posicionamento".

Todavia, Jerónimo de Sousa não restringe o PCP a um mero papel de oposição, garantindo que os comunistas estarão "em tudo o que forem avanços", embora darão "combate" e votarão "contra qualquer proposta ou iniciativa que contrarie esse grande objetivo de mais justiça social e de progresso". 

Mas apesar da vontade de contribuir "para avançar e melhorar", Jerónimo avisa que os próximos "orçamento e programa de governo serão da responsabilidade do PS", ao qual cabe "encontrar forma de responder" aos problemas do país.

Quanto ao Orçamento do Estado para 2019 que deverá "chegar brevemente à Assembleia da República", Jerónimo de Sousa assegura que além de alisarem o documento, os comunistas irão "dar uma contribuição para que ele melhore". 

Esta análise medida a medida, orçamento a orçamento, é a atitude que o PCP vai assumir já que rejeita uma posição "comum na perspetiva da legislatura", uma vez que, como recordou o líder comunista, na legislatura que agora termina os orçamentos também foram avaliados "caso a caso, ano a ano" e "as coisas funcionaram".  

 

"Tomar a iniciativa neste quadro de discussão, reflexão e aprovação, ou não, do Orçamento do Estado, é este o compromisso que assumimos, tomar a iniciativa, dar a nossa contribuição mas, em última análise, e insisto nesta ideia, o PS determinará" o rumo a seguir, concluiu Jerónimo.