Política Democratas avançam com processo de impeachment de Trump

Democratas avançam com processo de impeachment de Trump

O presidente dos EUA vai libertar a transcrição de conversa com homólogo da Ucrânia, mas a líder democrata da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, já anunciou que vai mesmo ser aberto um processo de destituição. Trump fala em caça às bruxas e assédio presidencial.
Democratas avançam com processo de impeachment de Trump
EPA
Sábado 24 de setembro de 2019 às 20:18

A líder da maioria Democrata na Câmara de Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, já anunciou o seu apoio formal ao processo de destituição do presidente dos EUA, Donald Trump.

O chefe de estado norte-americano está a ser acusado de ter feito um telefonema ao homólogo da Ucrânia, Vladimir Zelenski, em julho passado, pressionando-o a investigar Hunter Biden, filho de Joe Biden, vice-presidente no mandato do presidente Barack Obama e atual candidato à Casa Branca pelo Partido Democrata, por suspeita de irregularidades na sua ligação com uma empresa ucraniana.

Esta terça-feira, Trump revelou que amanhã vai divulgar a transcrição da conversa, mas isso não evitou a decisão de Pelosi - que esta noite confirmou que avança com o pedido de impeachment. Nancy Pelosi explicou que as provas indicam que Trump "faltou aos seus deveres", tendo sido acusado por inúmeros congressistas de abuso de poder.

"Ninguém está acima da lei", defendeu Pelosi, reforçando que o presidente "tem de ser responsabilizado". "As ações do presidente violaram gravemente a constituição" norte-americana, rematou.

Trump não perdeu tempo a reagir no seu espaço de opinião de eleição: o Twitter. "Eles nem sequer leram as transcrições. É uma caça às bruxas total!", escreveu, acrescentando uma outra frase escrita em letras maísculas: "Assédio Presidencial!". 


Os pedidos para um processo de destituição de Trump, a que se associou o candidato Joe Biden, começaram assim que a polémica foi divulgada. 

O caso surgiu na sequência de uma denúncia que foi divulgada pelo diretor interino do departamento de serviços de informação, Joseph Maguire, que reportou o incidente ao Congresso, sem, contudo, prestar mais esclarecimentos, alegando privilégios presidenciais.

No domingo, Pelosi disse que, a menos que Joseph Maguire desse mais dados, a contenção de informação - por razões de privilégios presidenciais - poderia ser tomada como uma obstrução de justiça, passível de levar a um processo de destituição do presidente. Agora, a decisão está fechada. 

Donald Trump diz que a oposição apenas está a tentar tirar proveito político de uma situação em que, na sua opinião, se deveria investigar a ação de Joe Biden sobre o procurador-geral da Ucrânia, que pediu para ser demitido quando era vice-presidente dos EUA, mantendo a sua posição de inocência sobre qualquer pressão sobre Zelenski.

* notícia atualizada às 22:08 com o anúncio formal da decisão de Pelosi e às 22:56 com a reação de Trump




pub

Marketing Automation certified by E-GOI