Política Depois do BE, também o PCP confirma que avançará com moção de rejeição a Governo PSD/CDS

Depois do BE, também o PCP confirma que avançará com moção de rejeição a Governo PSD/CDS

Jerónimo de Sousa confirmou que também o PCP irá apresentar uma moção de rejeição a um futuro Governo do PSD e do CDS. O Bloco também já deu indicações no mesmo sentido. Isto quando se aguarda comunicação de Cavaco sobre futuro Governo.
Depois do BE, também o PCP confirma que avançará com moção de rejeição a Governo PSD/CDS
Miguel Baltazar/Negócios
David Santiago 06 de outubro de 2015 às 19:21

Numa altura em que Cavaco Silva já se encontra reunido com Passos Coelho, aguardando-se para as 20h uma declaração do Presidente da República sobre a formação do novo Governo, o PCP garante que apresentará uma moção de rejeição a um eventual Executivo composto por PSD e CDS.

 

De acordo com a Lusa, além desta garantia deixada por Jerónimo de Sousa, o secretário-geral comunista também insistiu na ideia de que a reedição de um Governo de coligação entre o PSD e o CDS "só se materializará" se os socialistas convergirem com aqueles partidos de direita, "defraudando o sentido de voto de milhares de portugueses".

 

As afirmações de Jerónimo de Sousa foram feitas durante a reunião desta terça-feira, 6 de Outubro, do Comité Central comunista que se prevê poder continuar pela noite de hoje dentro.

 

Jerónimo mantém também que o PS deveria aliar-se aos restantes partidos da esquerda, que obteve a maioria dos votos nas eleições legislativas do passado domingo, de forma a apresentar uma solução governativa que corresponda à vontade maioritária dos eleitores.

 

"Neste novo quadro político, o PS só não forma Governo porque não quer. Nada o impediria de se apresentar disponível", insistiu Jerónimo que pede aos socialistas que mostrem uma "vontade de ruptura com a política de direita".

 

A posição comunista já tinha ficado clara ainda na noite eleitoral de domingo, quando o secretário-geral do PCP proclamou a vitória da esquerda contra a austeridade prosseguida pela direita, dizendo então que haveria disponibilidade da CDU para se aliar à restante esquerda com o objectivo de evitar um novo Governo PSD/CDS.

 

Ideia idêntica àquela deixada pela porta-voz do BE, Catarina Martins, que no domingo, quando o partido ainda festejava o melhor resultado de sempre, que permitiu aos bloquistas eleger 19 deputados, disse que iria "rejeitar" no Parlamento um Executivo protagonizado pela coligação. Ontem, no final da cerimónia de comemoração da implantação da República, realizada na câmara de Lisboa, também Pedro Filipe Soares, líder parlamentar do BE, afiançou que se Cavaco Silva insistir em manter o Governo PSD e CDS "nós apresentaremos uma moção de rejeição".

 

Entretanto, o primeiro-ministro Passos Coelho e o presidente Cavaco Silva continuam reunidos em Belém. Espera-se que no anúncio presidencial ao país, agendado para as 20h de hoje, Cavaco confirme que encarregou Passos da responsabilidade de formação do próximo Governo.

Apesar de o PS não ter tomado ainda uma posição pública sobre este assunto, as indicações deixadas pelo secretário-geral, António Costa, e por outros membros do partido, indiciam que os socialistas não irão apoiar a aparentemente certa moção de rejeição dos partidos à sua esquerda, viabilizando assim a formação de um novo Executivo liderado por Passos Coelho. 




pub

Marketing Automation certified by E-GOI