Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Assis antecipa encontro de socialistas descontentes para sexta-feira

A corrente alternativa à direcção do PS optou por organizar uma sessão pública na Mealhada já esta sexta-feira, um dia antes da Comissão Nacional do PS, de acordo com o Público. Francisco Assis já confirmou a informação à Lusa.

Negócios com Lusa 05 de Novembro de 2015 às 14:31
  • Assine já 1€/1 mês
  • 18
  • ...

O encontro dos socialistas descontentes com a actual direcção do partido vai mesmo realizar-se. Estava inicialmente marcado para sábado, foi depois adiado devido à marcação para esse dia da Comissão Nacional do PS. Mas segundo noticia o jornal Público, o grupo liderado por Francisco Assis decidiu agora antecipar o encontro para esta sexta-feira, 6 de Novembro, à noite.

 

Segundo o jornal, a corrente alternativa à direcção do PS optou por organizar uma sessão pública na Mealhada, local para onde tinha sido marcado o encontro inicial. 

Este encontro foi confirmado à agência Lusa pelo próprio Francisco Assis.

 

O eurodeputado socialista Francisco Assis tinha decidido cancelar o almoço de militantes que se opõem a um Governo de "frente de esquerda", no sábado, na Mealhada, por coincidir com a realização da Comissão Nacional do PS.

 

"Logo que tive conhecimento da realização da Comissão Nacional do PS, no sábado [em Lisboa, pelas 15:30], decidi imediatamente cancelar o encontro", declarou à agência Lusa Francisco Assis.

 

Neste encontro que agora deverá realizar-se sexta-feira à noite, o ex-líder parlamentar do PS pretende lançar uma corrente interna de militantes e simpatizantes socialistas que discordam de uma viragem à esquerda deste partido, principalmente, através da celebração de um acordo de Governo com o PCP e o Bloco de Esquerda.

 

Este sector do PS, pelo contrário, entende que os socialistas, na sequência dos resultados das últimas eleições legislativas, deveriam ser "oposição responsável" a um Governo PSD/CDS.

 

Os opositores de António Costa, apesar de estarem em minoria nos órgãos do partido e no próprio grupo parlamentar, acreditam que "representam metade do eleitorado do PS". "Metade do eleitorado socialista está assustado com a deriva que o partido está a seguir e isto que nós estamos a fazer comparado com o que os apoiantes do actual secretário-geral fizeram à anterior direcção não é nada", afirmou fonte socialista ao Público no passado fim-de-semana.

 

De acordo com membros desta tendência do PS, citados pela Lusa, que se opõe à formação de um Governo de frente de esquerda, "estando cerca de quatro centenas de militantes já inscritos para o almoço de sábado", entretanto cancelado, importava aproveitar este movimento e a solução foi antecipar em um dia o encontro.

 

Por outro lado, considerou-se essencial haver uma reunião deste grupo, que defende que o PS deverá assumir-se como oposição responsável a um executivo PSD/CDS, para definir a posição a tomar nas reuniões da Comissão Nacional de sábado e da Comissão Política de domingo.

 

"As questões a colocar são essencialmente sobre as condições em que o PS pretende formar Governo depois de ter perdido as eleições e se vale a pena o PS ser Governo por um ano para depois passar dez anos na oposição", referiu à agência Lusa um ex-membro das direcções lideradas por António José Seguro.

Assis quer ambiente livre, leal e plural na Comissão Nacional do PS

No comunicado onde justifica o adiamento do encontro, Francisco Assis deseja que "a reunião da Comissão Nacional decorra num ambiente favorável à livre e leal troca de pontos de vista e contraposição de opiniões. Vivemos um momento de extraordinária importância na vida do nosso partido, o que obriga a um especial cuidado na observância dos princípios fundamentais que nos norteiam".

 

No comunicado, Francisco Assis frisa que o PS, "pela sua natureza e pela sua história, é um partido profundamente livre, plural e democrático".

 

"Adiámos um encontro em nome do respeito por esses princípios. Pela mesma razão continuaremos a manifestar as convicções profundas que nos animam nas presentes circunstâncias históricas", salienta o ex-líder parlamentar do PS entre 1997 e 2001 e entre 2009 e 2011.

 

No texto, Francisco Assis deixa também o sinal de que o encontro previsto para este sábado, na Mealhada, o qual iria juntar "um conjunto alargado de militantes do PS que não se reconhecem na orientação política actualmente prosseguida pela direcção do partido", poderá voltar a ser remarcado dentro em breve.

 

"A marcação de uma reunião extraordinária da Comissão Nacional do PS para uma data coincidente com aquela em que ocorreria o encontro inviabiliza a realização deste último. Assim sendo, procedeu-se de imediato à desconvocação de tal reunião sem prejuízo da mesma se realizar em momento ulterior. Só assim ficam devidamente acautelados os superiores interesses do PS cuja salvaguarda tem de prevalecer sobre todas as divergências que internamente nos separem", afirma o eurodeputado socialista.

(Notícia actualizada às 14h55 com mais informação da Lusa)

Ver comentários
Saber mais Francisco Assis Comissão Nacional do PS PS política António Costa
Outras Notícias