Política João Bilhim: "Acabaram-se os 'jobs for the boys', isso posso garantir"

João Bilhim: "Acabaram-se os 'jobs for the boys', isso posso garantir"

O presidente da Comissão de Recrutamento e Selecção da Administração Pública (CRESAP) disse hoje à Lusa que a meritocracia passou a ser a regra nas nomeações de topo na função pública, concordando que acabaram-se os 'jobs for the boys'.
Lusa 06 de dezembro de 2012 às 09:06

Questionado sobre se a célebre frase do antigo primeiro-ministro António Guterres sobre 'no more jobs for the boys', referindo-se ao fim dos chamados 'tachos' na Administração Pública, era agora uma realidade, João Bilhim foi peremptório: "Ah, isso posso garantir. Eu tenho uma história de vida que fala por mim, e só sofre influências quem se põe a jeito, eu tenho 66 anos, não dependo disto, presido a um órgão que não pede nem recebe instruções do governo, e desde o princípio que disse que não sou influenciável".

Para além da introdução de critérios objectivos para a emissão de pareceres sobre as nomeações do Governo, que se regem por doze alíneas (liderança, colaboração, motivação, orientação estratégica, orientação para resultados, orientação para o cidadão e serviços de interesse público, gestão da mudança e da inovação, sensibilidade social, experiência profissional, formação académica, formação profissional e aptidão para o cargo), a CRESAP lança também concursos para preencher as vagas de topo na Administração Pública, ou seja, directores e sub diretores gerais, presidentes de institutos públicos e respectivos vogais, sendo que o Governo é obrigado a escolher um dos três melhores candidatos seleccionados pela CRESAP.




Marketing Automation certified by E-GOI