Política Marcelo paga do seu bolso a ida a Lyon no Falcon da Força Aérea

Marcelo paga do seu bolso a ida a Lyon no Falcon da Força Aérea

O Presidente da República foi ver o jogo entre Portugal e o País de Gales, em Lyon, numa aeronave da Força Aérea, o que terá custado 14 mil euros. Segundo o Correio da Manhã, Marcelo vai pagar do seu bolso 600 euros.
Marcelo paga do seu bolso a ida a Lyon no Falcon da Força Aérea
Miguel Baltazar
Bruno Simões 08 de julho de 2016 às 10:49

A viagem de Marcelo Rebelo de Sousa até Lyon, em França, para assistir ao jogo em que Portugal ganhou ao País de Gales e garantiu a presença na final do Euro 2016, esteve envolvida em polémica. Isto porque o Presidente da República deslocou-se numa aeronave da Força Aérea, o Falcon, que custa 3.500 euros por cada hora de voo, segundo o Correio da Manhã. Como a viagem foi de quatro horas (ida e volta), o custo terá sido de 14 mil euros.

 

Esta sexta-feira, fonte da Presidência da República garante ao CM que Marcelo irá pagar do seu próprio bolso a despesa.

 

Marcelo apanhou o Falcon em Bragança, cidade onde o Presidente terminou o périplo Portugal Próximo, que o levou a visitar a região de Trás-os-Montes (onde até se encontrou com José Sócrates). Segundo explica fonte de Belém ao Correio da Manhã, aos órgãos de soberania só são facturadas as despesas com o combustível, que neste caso terão rondado os seis mil euros.

 

Dividindo por 10 (a lotação do avião), o custo por passageiro é de 600 euros. Será esse o valor que será pago por Marcelo, do seu próprio bolso e não pelo orçamento da Presidência, escreve o CM. Na aeronave viajaram ainda o ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, e o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Rebelo.

 

Marcelo vai à final do Euro

 

Esta sexta-feira foi publicada em Diário da República a autorização para Marcelo Rebelo de Sousa se deslocar até França para assistir à final do Euro 2016, que vai opor Portugal e a equipa da casa. As viagens do Presidente da República têm de ser autorizadas pela Assembleia da República.

 

A autorização foi concedida esta quinta-feira e Marcelo poderá permanecer em território francês no domingo e na segunda-feira (10 e 11 de Julho).

 

Falcon voa em Portugal há quase 30 anos

 

Ao CM, fonte da Presidência esclarece que o Falcon só foi usado porque não havia outra forma de transportar Marcelo de Trás-os-Montes para França, e que um voo comercial teria ficado mais caro porque envolveria estadia na cidade francesa. Esta foi a terceira vez que Marcelo viajou neste avião da Força Aérea, tendo-o usado anteriormente na viagem a Marrocos e na visita à Madeira.

 

A Força Aérea Portuguesa dispõe de três aeronaves Falcon, construídos pelos franceses da Marcel-Dassault, que entraram ao serviço entre 1989 e 1991. Podem voar a uma altitude máxima de 15 mil metros (49 mil pés) o que os torna capazes de "efectuar trajectos com sobrevoo de zonas de ambiente hostil (oceanos ou desertos), podendo percorrer distâncias de cerca de 5.500 km sem necessitar de escalas técnicas para reabastecimento" – sensivelmente a distância entre Lisboa e Nova Iorque.

 

Há já muitos anos que se debate a substituição destas aeronaves por outras mais modernas, especialmente porque se têm sucedido as avarias dos Falcon.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI