Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Ministério das Finanças refuta acusações de Avelino de Jesus

Professor universitário apresentou a demissão do grupo de trabalho das PPP. O ministério das Finanças garante que disponibilizou a informação solicitada sempre de forma "célere e exaustiva".

Lusa 15 de Março de 2011 às 09:29
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...
O Ministério das Finança rejeita os argumentos de Avelino de Jesus para a sua demissão do grupo de trabalho para a reavaliação das parcerias público-privadas, garantindo que disponibilizou a informação solicitada sempre de forma "célere e exaustiva".

Na segunda-feira, o professor universitário apresentou a demissão do grupo de trabalho, por alegadas falhas na disponibilização de informação por parte da Administração Pública, considerando que se encontrava impedido de "cumprir a sua missão" por "demora injustificada no fornecimento de documentos e informações solicitadas" e "apresentação de documentos e informações incompletas".

Em resposta à carta com o pedido de demissão, o gabinete do secretário de Estado do Tesouro e Finanças, Carlos Costa Pina, enviou uma missiva a Manuel Avelino de Jesus, à qual a Agência Lusa teve acesso, na qual são refutadas as acusações de "restrição de informação" e dados, em anexo, vários exemplos de respostas disponibilizadas "sempre de forma célere", segundo o Ministério.

"O Ministério das Finanças e da Administração Pública, em articulação com as tutelas sectoriais, respondeu sempre, de forma expedita e exaustiva, às solicitações de informações apresentadas pelo grupo de trabalho", lê-se na carta enviada a Avelino de Jesus, professor do Instituto Superior de Economia e Gestão (ISEG).

Na sequência do anúncio da demissão de Avelino de Jesus, o CDS-PP indicou, já na última madrugada, que vai propor hoje, na Comissão Parlamentar de Obras Públicas, a audição "com carácter de urgência" do professor Avelino de Jesus e do presidente do grupo de trabalho, Guilherme d'Oliveira Martins.

O grupo de trabalho para a reavaliação das parcerias público-privadas (PPP) foi constituído há cerca de três meses, em resultado do acordo entre PSD e Governo que permitiu a viabilização do Orçamento do Estado para 2011.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias