Política Montenegro é candidato à presidência do PSD e quer ter Rio como adversário

Montenegro é candidato à presidência do PSD e quer ter Rio como adversário

Era uma espécie de candidatura anunciada só à espera de confirmação. Luís Montenegro é revelou que vai concorrer à liderança do PSD e que pretende disputar a corrida com o ainda líder, Rui Rio. “Cada um tem de assumir as suas responsabilidades, eu vou assumir as minhas”, atirou Montenegro.
Montenegro é candidato à presidência do PSD e quer ter Rio como adversário
Lusa
David Santiago 09 de outubro de 2019 às 21:56
Luís Montenegro decidiu voltar a avançar para a liderança do PSD e, pela segunda vez, decidiu fazê-lo "sem pedir licença a ninguém", acrescentando o desafio para que Rui Rio se apresente na corrida.

Em entrevista concedida na noite desta quarta-feira à SIC, o antigo líder parlamentar social-democrata confirmou aquilo que não parecia ser segredo para ninguém: uma vez concluídas as legislativas com a previsível derrota eleitoral do presidente do partido, Rui Rio, Montenegro iria anunciar a candidatura à presidência social-democrata. 

"Cada um tem de assumir as suas responsabilidades, eu vou assumir as minhas", explicou Montenegro, confirmando que será "candidato nas próximas eleições diretas por uma questão de coerência e convicção". Diretas essas onde "gostava muito que Rui Rio pudesse ser candidato".

Lembrando que os sociais-democratas obtiveram o "pior resultado de sempre" nestas legislativas, e tendo em conta que Rui Rio tem vindo a reiterar que o PSD não é de direita, mas de centro, Luís Montenegro defendeu ser necessário proceder a uma "clarificação acerca do posicionamento [do partido] e do seu projeto de intervenção cívica e social no país". 

Num ataque à forma como Rio reagiu ao resultado "muito mau" de domingo, considerando ter-se evitado uma hecatombe previamente anunciada, Montenegro afirmou que o líder do PSD tem agora de "assumir as responsabilidades pelos resultados que teve". 

O homem que, no início do ano passado, já desafiara Rui Rio a ter "coragem" de disputar consigo a liderança do partido, critica duramente o falhanço da "estratégia política" adotada pelo ex-autarca portuense e, após lamentar ter tido "razão" quando previu um mau resultado do PSD nas eleições legislativas de domingo, defendeu que os sociais-democratas têm de se diferenciar do PS e apresentar-se como verdadeira alternativa. 

Para Luís Montenegro é precisamente o contrário que Rui Rio está a promover, ao manter o PSD numa posição "subalterna" relativamente aos socialistas. "
O PSD não pode estar todos os dias a reclamar reformas estruturais com o PS. Tem de ter vida própria, sobretudo porque o PS não quer fazer essas reformas estruturais, António Costa não é um reformista."

A argumentação de Montenegro surge depois de ontem Rui Rio ter dito, após a audiência mantida com o Presidente da República, que espera que a maioria de esquerda que, acredita, dará origem à próxima solução de Governo, não tolha espaço para entendimentos de regime entre PSD e PS com vista à prossecução de "reformas estruturais" só possíveis com a colaboração dos dois maiores partidos portugueses. 

Depois de um dos putativos candidatos à sucessão de Rio (Pedro Duarte) ter posto de parte uma candidatura nesta fase, conferindo apoio a Montenegro, os nomes de Miguel Morgado e Miguel Pinto Luz surgem na rampa de lançamento para candidaturas à presidência do PSD. 



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI