Política Morais Sarmento admite ser candidato à liderança do PSD

Morais Sarmento admite ser candidato à liderança do PSD

O social-democrata Nuno Morais Sarmento, em entrevista à Antena 1, admitiu a possibilidade de se candidatar à liderança do Partido Social Democrata, mas, para já, Passos Coelho é o líder.
Morais Sarmento admite ser candidato à liderança do PSD
Inês F. Alves 24 de março de 2016 às 11:32

As declarações foram feitas por Nuno Morais Sarmento em entrevista com Maria Flor Pedroso. O social-democrata não descarta a possibilidade de vir a candidatar-se à liderança do partido que reelegeu Pedro Passos Coelho em Março último.

No passado dia 5 de Março, nas eleições directas do partido, Passos Coelho – o único candidato - foi reeleito com 95% dos votos, tendo arrematado 22 161 votos, num universo de 23 271 votantes. O partido prepara-se agora para o 36º Congresso Nacional, que terá lugar dentro de pouco mais de uma semana, de 1 a 3 de Abril, em Espinho.

Apesar de considerar Passos Coelho o líder ideal no momento presente, Morais Sarmento diz não acreditar que este venha a ser candidato do PSD a primeiro-ministro se o Governo de António Costa durar mais de três anos.

"Acho que para a frente (…) quem nós precisamos é de alguém capaz de acreditar para lá do que vê" e "Passos Coelho tem dificuldade em acreditar para lá do que vê", disse Morais Sarmento nesta entrevista.

A poucos dias do congresso nacional, esta não é a primeira vez que a liderança de Passos Coelho é colocada em causa. No início deste mês, José Eduardo Martins, antigo governante do PSD, disse em entrevista à Renascença que ainda não estão reunidas as condições para avançar com uma candidatura à liderança do partido, mas não escondeu que "pensa de maneira diferente à de Passos Coelho" e adiantou que pretende "expressá-lo no congresso".

"Não acho que haja, neste momento, gente suficiente a pensar de maneira parecida com a minha no partido para que isso mereça o trabalho de protagonizar uma alternativa que verdadeiramente o PSD neste momento não tem", justificou-se quando questionado sobre as razões para não entrar na corrida à liderança, mas deixando a porta aberta para uma eventual candidatura no futuro.

Na entrevista de Morais Sarmento à Antena 1 houve ainda tempo de falar sobre a nova líder do CDS-PP, Assunção Cristas, eleita também em Março, e que substituiu no cargo Paulo Portas. O social-democrata considera-a simpática, uma espécie de tranquilizante entre duas lideranças políticas, a de Paulo Portas e a potencial de Nuno Melo, escreve a Antena 1.

No que concerne a intervenção de António Costa na banca, questionada pelo PSD, Morais Sarmento acredita que António Costa não está fora de pé ou a cometer qualquer ilegalidade.

Morais Sarmento foi ministro da Presidência dos Governos de Durão Barroso e de Pedro Santana Lopes.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI