Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Passos Coelho pede: "Têm de me dar o benefício da dúvida"

O desafio era que Passos Coelho elencasse dois ou três motivos que levassem o organizador do debate, Joaquim Jorge, a votar nele.

João Carlos Malta joaomalta@negocios.pt 05 de Abril de 2011 às 09:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...
O líder do PSD não enjeitou o repto e lançou a resposta em três pontos. Apesar de não o ter referido o nome do primeiro-ministro, os argumentos foram sendo esgrimidos em oposição à figura de José Sócrates.


Primeiro, disse que até hoje e ao olhar para o seu passado, “tudo o que me propus fiz”. E deu exemplo: “Quando foi necessário dar a mão ao país e aprovar o Orçamento, até com o aumento de impostos que na altura me obrigou a pedir desculpa, cumpri com a minha palavra”. Em oposição realçou que o Governo não cumpriu quando se comprometeu a cortar na despesa.

Segundo, Passos acredita que tem crédito junto dos portugueses porque nunca deixou de cumprir aquilo que prometeu enquanto esteve Governo, pelo simples facto de nunca lá ter estado. “Tem vantagens e desvantagens. Mas ninguém me pode dizer que nunca tenha prometido algo no Governo e não tenha cumprido. Têm de me dar esse benefício da dúvida”, pediu. “Nem todos têm o mesmo crédito para gastar”, disse, numa clara indirecta ao actual primeiro-ministro.

Por fim, o líder social-democrata assegura que não quer o poder para o concentrar em si. “Tenho mostrado pela minha experiência que estou muito mais interessado nos resultados que temos de obter do que os meios utilizados”, assegurou

Ver comentários
Saber mais Passos Coelho dúvida Economia Política
Outras Notícias